PIB recua 0,1% no segundo trimestre, diz IBGE

O resultado foi influenciado pelo desempenho negativo da agropecuária, que caiu 2,8%

Estadão Conteúdo
01/Set/2021
  • btn-whatsapp
PIB recua 0,1% no segundo trimestre, diz IBGE

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro teve baixa de 0,1% no segundo trimestre de 2021 ante o primeiro trimestre do ano, informou nesta quarta-feira, dia 1/09, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com o segundo trimestre de 2020, o PIB apresentou alta de 12,4% no segundo trimestre deste ano. Essa foi a maior variação nessa base de comparação desde o início da série histórica. O resultado já era esperado, uma vez que o segundo trimestre de 2020 registrou queda do PIB de 10,9% ante igual período de 2019, a maior queda da série histórica.

Ainda segundo o instituto, o PIB do segundo trimestre de 2021 totalizou R$ 2,1 trilhões.

O Produto Interno Bruto da agropecuária caiu 2,8% no segundo trimestre de 2021 ante o primeiro trimestre. Foi o pior desempenho dessa atividade desde o primeiro trimestre de 2019, quando houve um recuo de 2,9% ante o quarto trimestre de 2018.

Na comparação com o segundo trimestre de 2020, o PIB da agropecuária mostrou alta de 1,3%, segundo o IBGE.

O PIB da indústria, por sua vez, caiu 0,2% no segundo trimestre de 2021 ante o primeiro trimestre. Na comparação com o segundo trimestre de 2020, o PIB da indústria revelou alta de 17,8%.

Já PIB de serviços subiu 0,7% no segundo trimestre de 2021 ante o primeiro trimestre do ano. Na comparação com o segundo trimestre de 2020, o PIB de serviços mostrou alta de 10,8%.

RITMO PRÉ-PANDEMIA

O recuo de 0,1% no PIB no segundo trimestre de 2021 ante o primeiro trimestre do ano fez a economia brasileira se manter operando no mesmo patamar do quarto trimestre de 2019 e início de 2020, no pré-pandemia de covid-19.

Mas o resultado interrompe três trimestres seguidos de crescimento da economia. O IBGE considera que houve estabilidade, segundo Rebeca Palis, coordenadora de Contas Nacionais do órgão estatístico.

"A variação do PIB foi de -0,054%", explicou, lembrando que o resultado divulgado de -0,1% decorre da regra de arredondamento. O PIB ainda está 3,2% abaixo do ponto mais alto da atividade econômica do País, alcançado no primeiro trimestre de 2014.

Store in Store

Carga Pesada

Vídeos

Novos tempos, velhas crises

Novos tempos, velhas crises

Confira como foi o 4° Liberdade para Empreender

Rodrigo Garcia defende tributação no destino para por fim à guerra fiscal

Colunistas