Pet techs contribuem para o bem-estar dos animais de estimação

Essas startups entram em um mercado que movimenta anualmente R$ 27 bilhões no Brasil

Agência EY
21/Jun/2022
  • btn-whatsapp

Basta uma caminhada na rua ou no parque para se ter uma dimensão do mercado pet no Brasil. É praticamente impossível não encontrar alguém passeando com o seu cão ou até mesmo o seu gato. Atualmente, a população de animais de estimação no Brasil é de 144,3 milhões, entre cães, gatos, peixes ornamentais, aves e outros. Eles ajudaram a indústria pet a movimentar R$ 27 bilhões em 2020, entre alimentação, cuidados e saúde animal.

Os números são da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) e mostram o potencial do segmento que movimentou US$ 145,8 bilhões no mundo, em 2020 - 11% a mais do que em 2019. O Brasil é o sétimo em faturamento no ranking mundial, que é liderado pelos Estados Unidos, segundo a Abinpet. 

Para atender as necessidades de um mercado que cresce a cada ano, empresas emergentes de tecnologia desenvolvem produtos inovadores e soluções para serviços como delivery, cuidadores e até planos de saúde. São as pet techs: startups que desenvolvem e aprimoram tecnologia e inovações para atender toda esta cadeia, de produtos a serviços voltados ao segmento pet. 

“O setor pet é um mercado muito inovador e está sempre antenado com as novidades. Com certeza, nos próximos anos, veremos um crescimento significativo desse tipo de negócio, uma vez que a tecnologia vem ganhando crescente importância no nosso mercado”, diz Nelo Marraccini, presidente do Conselho Consultivo do Instituto Pet Brasil (IPB).

Marraccini cita como exemplo o crescimento do e-commerce pet. Levantamento do IPB aponta que, nos três primeiros meses de 2022, as vendas on-line do segmento já cresceram 18%. De 2020 para 2021, a alta foi de 48%, passando de R$ 1,9 bilhão, em 2020, para R$ 2,8 bilhões, em 2021.

O setor de saúde tem se destacado entre as pet techs. A Porto Seguro, por exemplo, se uniu no ano passado à PetLove para um plano de saúde para pets, o Porto.Pet. “Este empreendimento sinérgico reforça a nossa missão de nos tornarmos a maior plataforma de produtos e serviços para animais de estimação, garantindo também a máxima comodidade a todos os elos da cadeia de animais de estimação: não apenas para tutores de animais, mas também para médicos, clínicas veterinárias, hospitais e lojas de animais de todo o Brasil”, disse Marcio Waldman, fundador da Petlove, na ocasião da parceria com a Porto.

Aplicativos à disposição do público procuram oferecer os mais diversos serviços para facilitar a vida do dono, como apps para transporte, compra programada de ração etc. O PetDriver, por exemplo, se compromete a oferecer serviços de transporte seguro, confortável e eficiente para animais. Como se fosse um Uber dos bichinhos.

No exterior, além de serviços, crescem soluções criativas e sofisticadas que unem a tecnologia ao bem-estar dos bichinhos. No Canadá, o iFetch é um lançador automático de bolas para manter o cão ativo e entretido. Já a Dog Parker é uma casinha de cachorro inteligente e segura que funciona muito bem durante as compras, uma vez que substitui a coleira presa do lado de fora do estabelecimento para o cão não fugir ou ser levado por alguém enquanto a pessoa faz compras. 

Outro produto interessante à disposição dos canadenses e no e-commerce internacional é o Sureflap, uma porta para animais de estimação que abre apenas quando o dispositivo lê o microchip do seu animal de estimação. A velha coleira também ganhou versões tecnológicas, como a Go-Smart, que inclui um anel de luz LED para visibilidade noturna, temporizadores de caminhada e um aplicativo para rastrear os tempos de atividade tanto dos pets quanto de seus tutores.

Mais um exemplo de inovação vem dos Estados Unidos, onde já estão à disposição do público produtos como caixas de areia autolimpantes para gatos, como a Litter Robot: uma caixa de areia para gatos automática que peneira a areia após cada uso e a deposita em uma gaveta de resíduos.

 

IMAGEM: Freepik

 

 

 

 

 

 

Indicadores de Crédito da Boa Vista

Índice
Mar
Abr
Mai
Demanda por crédito
0,6%
-4,3%
--
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
-1%
1,1%
--
Inadimplência do consumidor
5,1%
5,0%
7,5%
Recuperação de crédito
6,4%
1,8%
-5,6%
mais índices

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mar
Abr
Mai
IGP-M
1,1477
1,1466
1,1072
IGP-DI
1,1557
1,1353
1,1056
IPCA
1,1130
1,1213
1,1173
IPC-Fipe
1,1096
1,1226
1,1227

Vídeos

O advogado Igor Nascimento Souza fala sobre o Fiagro

O advogado Igor Nascimento Souza fala sobre o Fiagro

2º Encontro "Liberdade para Empreender”

SOS Empreendedores - Crédito e negociação de dívidas

Colunistas