Movimento do comércio sobe 0,9% no 1º semestre de 2022

No acumulado de 12 meses, porém, há queda de 0,8%, já que a inflação e os juros altos têm pesado sobre o varejo, de acordo com análise da Boa Vista

Redação DC
25/Jul/2022
  • btn-whatsapp

O movimento do comércio acumulou alta de 0,9% no 1º semestre de 2022 ante igual período de 2021. Porém, no acumulado em 12 meses, a indicador aponta queda de 0,8%. 

Os dados, da empresa de inteligência analítica Boa Vista, também apontam que o indicador antecedente, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o território nacional, também cedeu 0,8% entre os meses de maio e junho.

Já o desempenho do varejo no mês sucedeu uma alta de 1,7% em maio, e encerrou o 2º trimestre de 2022 com estabilidade em relação ao 1º trimestre.

Na série de dados originais, o indicador avançou 0,6% na comparação interanual, e 3,1% na comparação do 2º trimestre de 2022 ante igual período do ano passado. 

Em maio, a liberação do FGTS já não havia surtido o efeito esperado, e em junho não foi diferente: em um cenário de inflação e juros altos, também pesa sobre o varejo a competição com serviços, que parece estar mais acirrada, diz Flávio Calife, economista da Boa Vista.

"Nesse período, o impacto tende a ser maior nas categorias que dependem mais do crédito, e para amenizar isso, alguns prazos estão ficando maiores", explica. "Mas o risco da operação é maior e, mesmo que as parcelas caibam no bolso, o custo deste risco está embutido nelas", 

Assim, o consumidor, de modo geral, tende a focar no consumo de itens básicos, como alimentos e combustíveis. Em julho, o efeito da PEC dos Combustíveis já deve aparecer, e isto deve estimular a demanda nessas categorias, completa.

A despeito da queda observada na análise de longo prazo, a expectativa é de que o varejo encerre o ano em alta, até porque a base de comparação daqui para frente não é tão forte -  lembrando que o indicador no 2º semestre de 2021 havia caído 2,0% ante igual período de 2020. Os dados da Pesquisa Mensal do Comércio 9do IBGE), seguiram na mesma direção.

IMAGEM: Tânia Rego/Agência Brasil

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas