Mão de obra qualificada é problema no mercado pet

O Sebrae dá dicas para quem quer abrir uma empresa neste segmento. Gostar dos bichinhos não basta, é preciso estar atento às novidades

Agência Sebrae
13/Jan/2020
  • btn-whatsapp

É fácil observar que atualmente os bichinhos são considerados parte da família e passam por uma espécie de “humanização”. Além dos cuidados com saúde e higiene, os pets têm recebido cuidados especiais em relação à alimentação e vestuário, sem contar os mimos que envolvem brinquedos e acessórios.

Essa grande diversidade de produtos e serviços relacionados aos animais de estimação tem gerado o constante crescimento do setor. Além disso, segundo pesquisa realizada em 2018 pelo IBGE, o Brasil possui mais de 132 milhões de animais de estimação, ocupando a segunda posição mundial.

LEIA MAIS: O mundo cão deu um pulo do gato em São Paulo

Com o aquecimento do mercado pet, a expectativa de faturamento para 2020 está em torno de 20 bilhões de reais.

Ivan Ferreira dos Santos, 34 anos, começou a investir no segmento pet como microempresário há dois anos e meio. Ele trabalhou como funcionário por muito anos em pets shops em Belo Horizonte, onde adquiriu experiência para cuidar de animais.

“Eu já tinha desistido da área, mas surgiu a oportunidade de adquirir uma loja e eu resolvi investir com a ajuda da minha esposa e irmãos”, contou.

A primeira loja, Mimos Pet, funciona no Ipiranga e, com apenas seis meses de funcionamento, precisou ser ampliada por causa do aumento da demanda.

Recentemente, ele abriu a segunda loja, Patrulha Canina, no bairro Fernão Dias, onde a esposa é a responsável pelo novo negócio.

Com os bons resultados, também faz planos para abrir uma loja virtual com produtos para animais. “As pessoas acham que é fácil, mas o segredo do sucesso é muita dedicação e persistência”, destacou.

Para enfrentar as dificuldades iniciais, ele buscou a ajuda de quem já atuava no setor e amigos. Também buscou orientações do Sebrae sobre registro e patentes. Atualmente ele emprega 14 funcionários ao todo e pretende contratar mais dois no ano que vem para não sobrecarregar a equipe.

DICAS DO SEBRAE

O segmento de lojas de animais e pet shops está em constante evolução e os donos de pequenos negócios precisam se adaptar às novas tendências e inovações para não sofrerem com a concorrência. O Sebrae criou um espaço em seu site com dicas para diferentes segments de negócios, entre eles para quem quer montar uma loja para pet.

Gostar de animais é um dos requisitos para compor uma boa equipe, mas é preciso contratar profissionais que sejam qualificados e principalmente com competências específicas para o negócio.

No caso do Ivan, a falta de mão de obra qualificada ainda é umas das maiores dificuldades enfrentadas. O empreendedor no segmento de pet shops também deve se ater às exigências das regulamentações referentes a instalação de lojas de animais pois, dependendo dos serviços e produtos oferecidos, é exigido um médico veterinário, com responsável técnico no estabelecimento.

 

LEIA MAIS: Está pensando em abrir uma farmácia?

LEIA MAIS: Antes de abrir um negócio, siga essas dicas

 

IMAGEM: Thinkstock

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas