Maioria dos consumidores prioriza empresas que atuam com delivery

Constatação é de estudo da EY, que também revela que 71% dos brasileiros estão extremamente preocupados com o rumo da economia

Agência EY
17/Jan/2022
  • btn-whatsapp
Maioria dos consumidores prioriza empresas que atuam com delivery

Pesquisa da EY feita com consumidores brasileiros mostra que 69% dos entrevistados afirmam que os valores e a maneira como encaram a vida mudaram desde o começo da pandemia e mais da metade demonstrou extrema preocupação com a própria saúde e a de seus familiares. 

Em relação ao bolso, 51% dos brasileiros estão bastante preocupados com as suas finanças e 40% afirmaram ter alguma preocupação, sendo que apenas 9% disseram que não estão preocupados com os gastos. Outro dado relevante é que a grande maioria da população – 71% - está extremamente preocupada com os rumos da economia brasileira. 

Os números fazem parte do EY Future Consumer Index 2021 (FCI), estudo produzido pela EY-Parthenon. O levantamento foi realizado no fim de 2021, com base em entrevistas feitas em 21 países. No Brasil, foram ouvidos 1.022 consumidores, entre homens e mulheres de todas as classes sociais e em diversas regiões.

“Os dados mostram que o impacto emocional da pandemia na população brasileira foi muito grande. Com uma alta preocupação com suas finanças pessoais, já era de se esperar que o consumidor brasileiro iria repensar e focar os seus gastos com produtos e serviços que realmente importam”, explica Frederico Mascarenhas, consultor da EY-Parthenon. 

Ainda como efeito da pandemia, período em que o e-commerce ganhou muita força no Brasil, mais de 60% dos brasileiros entrevistados estão priorizando empresas que tenham o produto disponível e com possibilidade de entrega em casa (delivery). O consumidor também está priorizando qualidade, optando por produtos e serviços que proporcionem saúde e bem-estar. Independentemente da classe social, o preço é um fator que pesa muito no momento de decisão da compra, de acordo com o FCI.

“As empresas precisam atuar ativamente dentro do seu ecossistema de parcerias ou até mesmo expandir sua fronteira de atuação para garantir que os produtos desejados pelo cliente estejam disponíveis a qualquer momento e habilitados para serem entregues em qualquer lugar”, diz Mascarenhas. 

A pesquisa também quis saber o comportamento do consumidor no futuro e sua preocupação com a sustentabilidade. Entre os brasileiros ouvidos, 54% querem comprar apenas de marcas alinhadas aos seus valores e 53% planejam reduzir ou mesmo cancelar compras de empresas que não tenham um plano para neutralizar suas emissões de carbono até 2030. Outros 65% não pretendem comprar produtos dos quais não precisam no momento, mesmo que isso implique em perder as últimas tendências da moda.

“Diante de tantas mudanças provocadas pela pandemia, é importante que as companhias reavaliem bem a formação dos ecossistemas em que estão inseridos. A empresa e seus parceiros comerciais estão conseguindo atender as expectativas? São discussões importantes porque ajudam as organizações a fazer ajustes de percurso e alinhar as suas práticas e valores para satisfazer os novos hábitos de consumo após a covid-19”, afirma Mascarenhas.

 

 

 

 

 

 

Indicadores de Crédito da Boa Vista

Índice
Mar
Abr
Mai
Demanda por crédito
0,6%
-4,3%
--
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
-1%
1,1%
--
Inadimplência do consumidor
5,1%
5,0%
7,5%
Recuperação de crédito
6,4%
1,8%
-5,6%
mais índices

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mar
Abr
Mai
IGP-M
1,1477
1,1466
1,1072
IGP-DI
1,1557
1,1353
1,1056
IPCA
1,1130
1,1213
1,1173
IPC-Fipe
1,1096
1,1226
1,1227

Vídeos

O advogado Igor Nascimento Souza fala sobre o Fiagro

O advogado Igor Nascimento Souza fala sobre o Fiagro

2º Encontro "Liberdade para Empreender”

SOS Empreendedores - Crédito e negociação de dívidas

Colunistas