Lojas satélites vendem 2,63% mais no Natal de 2021 ante 2019

Segundo a Ablos, associação que representa o segmento, apesar da alta, é grande a preocupação com os custos de ocupação das lojas em shoppings

Estadão Conteúdo
29/Dez/2021
  • btn-whatsapp
Lojas satélites vendem 2,63% mais no Natal de 2021 ante 2019

As vendas de Natal dos pequenos e médios lojistas cresceram em média 2,63% em comparação ao mesmo período de 2019. Os dados foram coletados por meio de pesquisa da Associação Brasileira dos Lojistas Satélites (Ablos), com seus mais de 100 associados, que juntos representam mais de 3 mil pontos de vendas no País.

O levantamento leva em consideração os resultados das vendas de 1º até 24 de dezembro de 2021. Para a associação, o resultado foi abaixo do previsto e há preocupações em relações aos custos ocupacionais dos shoppings em 2022.

"Houve um pequeno crescimento nas vendas deste Natal, mas se for aplicado na inflação não é um crescimento real. Tivemos mais um ano difícil para o comércio com falta de matéria prima, inflação pressionando preços, a elevação dos custos de ocupação das lojas e a correção do aluguel pelo IGP, que nos últimos 24 meses teve alta de até 47% nos contratos", declara Mauro Francis, presidente da Ablos.

Na enquete foi notado um leve crescimento das vendas no setor de vestuário das lojas físicas, em especial das marcas que atendem o público A e B. Para as lojas de vestuário, o crescimento apontado foi de 6%.

No segmento de alimentação, o crescimento foi de 7,5%, o mesmo registrado no setor de joalherias.

A maior queda registrada na enquete foi do setor de acessórios, com um tombo de 15% nas vendas.

A associação optou por fazer a comparação com 2019, já que em 2020 o comércio ainda lidava com restrições de funcionamento em razão da pandemia.

De acordo com levantamento da Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings (Alshop) divulgado na última segunda-feira (27), os estabelecimentos do setor registraram alta real de 10% nas vendas natalinas em relação a 2020.

A Alshop estima que as vendas dentro dos centros de compras somem R$ 204 bilhões no acumulado de 2021, o que representaria um crescimento de 58% em relação a 2020. Se comparado ao faturamento de 2019, porém, é prevista uma redução de 3,5% das vendas.

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas