Glossário do empreendedor: o que é protótipo

Representação física de uma ideia em estágio inicial, o protótipo é um jeito de comunicar de forma clara e objetiva o conceito de produto, serviço e modelo de negócio. Um passo essencial para acalmar investidores desconfiados

Italo Rufino
01/Fev/2021
  • btn-whatsapp
Glossário do empreendedor: o que é protótipo

Imagine a seguinte situação: um amigo “inventor” diz que está desenvolvendo um novo produto – uma cadeira. Ele afirma que ela será confortável, resistente e compacta. 

Para provar a originalidade de sua ideia, ele te apresenta uma extensa ficha técnica com os materiais de fabricação e um quadro de referência, com cores, formas e texturas. Por fim, ele te pede emprestado R$ 50 mil para iniciar a fabricação em série do modelo da cadeira. 

Não que você duvide da genialidade do seu amigo, mas ficaria muito mais convencido da ideia se pudesse ver, sentar e mostrar a cadeira para outras pessoas. Ou seja, experimentar um protótipo. 

Um protótipo serve exatamente para tirar dúvidas sobre uma inovação. É uma representação física de uma ideia em estágio inicial – uma forma de comunicar de forma clara e objetiva a intenção de um projeto, que pode ser um produto, serviço, processo, modelo de negócio, entre outros. 

O termo tem origem grega: Protós (primeiro) e Typos (tipo), que significa primeiro tipo ou modelo. Saiba mais sobre o termo: 

BENEFÍCIOS DA PROTOTIPAGEM 

A prototipagem é uma das etapas do design thinking, metodologia de criação de soluções baseada nas demandas do cliente – e que tem origem no processo criativo de designers. 

O processo também tem como vantagens o envolvimento de equipes multidisciplinares com o intuito de gerar ideias inovadoras e inesperadas – a solução final pode ser completamente diferente da ideia original. É um processo vivo de aprendizagem. 

Na prática, o protótipo ajuda a consolidar ideias, hipóteses e receber opiniões de usuários de maneira simultânea e rápida. Por meio da experimentação, a ideia pode ser aprimorada e adaptada. Conforme o processo avança, outros protótipos são criados com maior grau de fidelidade – até o lançamento do produto final. 

Um protótipo não precisa ser uma representação fiel do objeto final. Pelo contrário, para garantir agilidade e baixo custo, o protótipo pode ser uma prévia rudimentar da solução. O importante é entregar a essência do resultado final e garantir interação satisfatória com o usuário. 

Em processos de design thinking, é comum o desenvolvimento de protótipos com massa de modelar, lego e cartolina – muitas vezes usadas para representar telas de aplicativos de smartphones. 

Um caso mundialmente conhecido de prototipagem é o da americana Zappos, loja virtual de sapatos, roupas e acessórios. 
Em 1999, Nick Swinmurn e Tony Hsieh, respectivamente fundador e primeiro investidor da Zappos, queriam validar a hipótese de vender calçados pela internet. 

Hsieh, então, visitou lojas físicas de sapatos em Las Vegas e tirou fotos dos produtos. Depois, criou um blog (não um site) e publicou as ofertas – um protótipo do que seria uma loja online. 

Quando um cliente fazia um pedido, Hsieh comprava o mesmo modelo na loja física, enviava ao consumidor por correio e ouvia a sua opinião sobre o produto e a entrega. Antes de investir em tecnologia, estoque e logística, os sócios validaram a ideia tendo como foco o cliente – e sua aderência ao novo modelo de negócio. 

No ano seguinte, a Zappos faturou US$ 1,6 milhão. Em 2009, a empresa foi incorporada pela Amazon, num acordo que movimentou cerca de US$ 1,2 bilhão.

CONCEITOS SIMILARES

No universo de startups, um protótipo de modelo de negócio é chamado de Produto Mínimo Viável, ou Minimum Viable Product (MVP). 

Fundada em 2011, a empresa Easy Taxi, uma das pioneiras de aplicativos de solicitação de táxis no Brasil, teve como MPV um site com apenas uma caixa de texto, que exibia três perguntas: “Qual é seu nome e telefone?”, “Qual é seu endereço?” e “Para onde você vai?”. 

Quando o usuário clicava no ícone “Pedir Táxi”, as informações eram disparadas para o e-mail do Tallis Gomes, fundador da Easy Taxi, que entrava no Google Maps e buscava o ponto de táxi mais próximo da localização do cliente. 

Gomes, então, ligava no ponto e solicitava a corrida. Depois, ligava para o usuário informando o nome do taxista, modelo e placa do veículo e tempo de espera estimado.

No início da operação, o Easy Taxi só aceitava como destinos Ipanema e Leblon – uma forma de controlar tempo e recursos enquanto coletava opiniões dos usuários para validar e aprimorar o serviço. O resto é história e pode ser visto nas ruas do país.

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas