Foram abertas 180 cervejarias no país em 2022

Minas Gerais registrou o maior número de novos negócios, 33 no total, chegando a 222 cervejarias e escalando para a terceira posição no ranking de Estados com mais estabelecimentos, atrás de Rio Grande do Sul e São Paulo

Redação DC
10/Jul/2023
  • btn-whatsapp
Foram abertas 180 cervejarias no país em 2022

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) divulgou uma nova edição do Anuário da Cerveja na semana passada. A publicação, que traz dados do setor relativos a 2022, mostra que foram abertas 180 cervejarias no ano passado, elevando o número de estabelecimentos do tipo a 1.729, alta de 11,6% na comparação com 2021. 

Por região, o destaque foi Minas Gerais, que registrou 33 novas cervejarias no ano passado, superando Santa Catarina e alcançou a terceira posição no ranking, com 222 estabelecimentos. São Paulo se manteve como o Estado com maior número de cervejarias registradas, com total de 387 estabelecimentos, seguido de Rio Grande do Sul, com 310.

A região Sudeste conta com a maior concentração de estabelecimentos do setor, com 798 cervejarias registradas, o que representa 46,2% do total de negócios do tipo no Brasil. Por outro lado, a região Norte concentra o menor número de cervejarias, com 36 estabelecimentos. 

Um a cada oito municípios brasileiros possui pelo menos uma cervejaria registrada. Isso quer dizer que são 722 municípios brasileiros com pelo menos uma cervejaria, o que representa um aumento da dispersão de 7,4% se comparado a 2021.

A cidade de Linha Nova, no Rio Grande do Sul, tem a mais alta densidade cervejeira do Brasil, apresentando uma cervejaria para cada 862 habitantes. O município conta com duas cervejarias para um total de 1.724 habitantes.

Em 2022, as cervejarias brasileiras alcançaram 42.831 produtos e 54.727 marcas de cerveja registradas. Em relação a novos produtos, houve um crescimento de 19,8 % na comparação com 2021, o que representa 7.090 produtos a mais.

Segundo o Anuário da Cerveja, o setor cervejeiro no Brasil é responsável por mais de 42 mil empregos diretos. Considerando toda a cadeia produtiva, a cerveja contribui com mais de 2 milhões de empregos diretos, indiretos e induzidos. 

O setor responde por 2% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, segundo o Sindicato Nacional da Indústria da Cerveja (Sindicerv). Em números, a cadeia gera mais de R$ 27 bilhões em salários e é responsável por mais de R$ 49,6 bilhões (base 2022) de tributos por ano, informa o sindicato.

O Brasil é o terceiro maior produtor de cerveja do mundo, atrás da China e dos Estados Unidos, e deve alcançar, em 2023, o volume de vendas de 16,1 bilhões de litros, um crescimento de 4,5% em relação a 2022, de acordo com dados do Sindicerv.

 

IMAGEM: Renato Carbonari Ibelli/DC