Facesp pede apoio do Governo de SP para minimizar prejuízos com apagões

A federação das associações comerciais enviou carta ao Governo do Estado sugerindo seis ações que podem contribuir com uma prestação de serviço mais eficiente por parte da concessionária de energia

Cleber Lazo
16/Jan/2024
  • btn-whatsapp
Facesp pede apoio do Governo de SP para minimizar prejuízos com apagões

A Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) encaminhou uma carta ao Governo do Estado de São Paulo em que pede apoio para a implementação de medidas que tornem a prestação do serviço de energia elétrica mais eficiente e transparente e, ainda, que ações práticas sejam adotadas para ressarcir o prejuízo causado pelos recentes apagões.

Na carta, a Rede de Associações Comerciais, formada por 420 entidades, que representam cerca de 300 mil empreendedores, solicita que o “Governo do Estado de São Paulo se solidarize, apoie e auxilie os comerciantes, os prestadores de serviço e os profissionais autônomos que estão sendo extremamente prejudicados pelos repetidos episódios de falta de energia”.

Seis ações, que podem contribuir com a prestação de um serviço mais eficiente e transparente, são sugeridas. Entre elas está a proposta para que o governo estadual faça a intermediação de encontros entre representantes da classe empreendedora e os responsáveis pelas concessionárias, com o objetivo de buscar formas de ressarcir os prejuízos causados pelos apagões.

Outro pedido visa a adoção de medidas que ofereçam o mínimo de previsibilidade, como um plano de contingência para ocorrências em que a previsão de retorno seja igual ou superior a quatro horas e, ainda, que seja criado um sistema on-line que mostre o status do fornecimento de energia.

Leia a íntegra da carta enviada ao Governo do Estado de São Paulo neste link.

 

IMAGEM: Rovena Rosa/Agência Brasil

Store in Store

Carga Pesada

Vídeos

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

129 anos da ACSP - mensagem do presidente Roberto Ordine

Novos tempos, velhas crises

Confira como foi o 4° Liberdade para Empreender

Colunistas