E-commerce cresceu 41% em 2020. Faturamento chegou a R$ 87,4 bi

Segundo relatório da Ebit/Nielsen, o número de pedidos subiu 30%, sendo que na categoria Casa e Decoração o avanço foi de 70%

Estadão Conteúdo
25/Mar/2021
  • btn-whatsapp
E-commerce cresceu 41% em 2020. Faturamento chegou a R$ 87,4 bi

O on-line foi o escape do comércio em 2020, ano marcado pela necessidade de isolamento social por causa da pandemia de coronavírus. Segundo o relatório Webshoppers, da Ebit/Nielsen e do Bexs Banco, o comércio eletrônico avançou 41% no ano passado, atingindo faturamento de R$ 87,4 bilhões, a maior alta de 13 anos.

A título de comparação, em 2018 o crescimento do comércio on-line havia sido 12% e, em 2019, 16%. "O crescimento foi generalizado, por todas as categorias", afirmou o head de e-commerce de Ebit/Nielsen, Marcelo Osanai.

Em número de pedidos, a alta foi de 30%, para 194 milhões.

As compras pelo celular dispararam e o dispositivo passou a representar 55,1% do total, o equivalente a R$ 45,9 bilhões. "A navegação pelo celular é muito mais acessível à maioria da população", lembra Osanai.

Por categoria, um dos crescimentos mais expressivos foi o da categoria de Casa e Decoração, que avançou 71% em número de pedidos e passou a representar 15% do total. Em faturamento, a categoria representa 12%. "Nesta categoria, estão incluídos móveis, decoração e produtos de limpeza, tudo o que é para consumo doméstico", diz Osanai.

Neste caso, entraram itens como álcool 70, fundamental para o combate ao coronavírus, e também desinfetantes.

Alimentos e Bebidas apresentou crescimento de 59% do número de pedidos, mas representa apenas 4% do total.

A categoria Farmácia subiu 19% no mesmo indicador, mas significa 1% do total. "Com a maioria das lojas fechadas, as pessoas procuravam ir pessoalmente fazer suas compras nestas duas categorias", diz Osanai.

Para o executivo, a menor representatividade de ambas as categorias também está relacionada ao tíquete-médio mais baixo, que nem sempre compensa o valor do frete.

O frete grátis, por sinal, incentivou consumidores e respondeu por 43% das compras.

O executivo destaca o salto dos estados do Nordeste na fatia total do varejo on-line: de saltou de 18,5% para 31,7% em 2020. "O Sudeste também cresceu e representa hoje 52% do faturamento, mas o movimento do Nordeste mostra a força do processo de interiorização do e-commerce", afirma.

 

IMAGEM: Thinkstock

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas