Dia dos Namorados deve elevar vendas entre 2% e 3%

Previsão da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) considera aumento moderado para o varejo da capital

Redação DC
05/Jun/2019
  • btn-whatsapp
Dia dos Namorados deve elevar vendas entre 2% e 3%

A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) espera um crescimento entre 2% e 3% no movimento de vendas de produtos voltados para o Dia dos Namorados no varejo da capital paulista, em relação ao ano passado.

“Com o baixo crescimento da economia brasileira, a perspectiva é de um aumento moderado das vendas", diz Marcel Solimeo, economista da ACSP.

Ele ressalta que o Dia dos Namorados é, por natureza, uma data de presentes de uso pessoal, de menor valor. Itens como bijuterias, chocolates e flores estarão, como todos os anos, devem estar entre os mais populares.

“Mas o ramo a ser observado de perto é o de vestuário: ele será o fiel da balança. Se a temperatura cair, a moda outono-inverno vai ter grande procura e ajudar nos resultados. Agora, se não esfriar, a compra de presentes ficará restrita às lembrancinhas”.

Solimeo acrescenta que, no ano passado, as vendas da primeira quinzena de junho foram beneficiadas pelo início da Copa do Mundo, criando assim uma base forte de comparação.

“Sem a Copa, desta vez, é possível que ocorra até mesmo um leve recuo no comércio em segmentos como de bens duráveis”.

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas