Com fusão, surge o segundo maior conglomerado de shoppings

Acordo entre Aliansce e Sonae Sierra Brasil junta 29 unidades, como o Shopping Parque D.Pedro (na foto), com vendas que somaram cerca de R$ 14,8 bilhões nos últimos 12 meses.

Estadão Conteúdo
07/Jun/2019
  • btn-whatsapp
Com fusão, surge o segundo maior conglomerado de shoppings
A Aliansce e a Sonae Sierra Brasil anunciaram a conclusão do acordo para fusão de suas atividades, dando origem ao segundo maior conglomerado de shopping centers do País, detendo participação em 29 unidades, atrás apenas da BRMalls, com 39.
 
O pacto ainda depende, porém, de aval do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para ser concretizado. A expectativa das empresas é que todo o processo seja finalizado até o fim do ano.

Se receber o sinal verde do órgão regulador, a nova empresa terá o nome Aliansce Sonae Shopping Centers S/A. As ações permanecerão negociadas em bolsa, listadas no segmento do Novo Mercado da B3, o mais alto em governança corporativa.

O bloco de controle da companhia combinada será composto por quatro acionistas principais, detentores da maioria do capital: Canada Pension Plan Investment Board (CPPIB), Renato Rique, OFO (Grupo Otto) e Sonae Sierra SGPS.

A participação final na empresa combinada será de 67,9% para os acionistas da Aliansce e de 32,1% para os acionistas da Sonae.
 
A relação de substituição corresponderá a 0,787808369 ação ordinária da Sonae por ação ordinária da Aliansce. Na fusão, a Aliansce será incorporadora pela Sonae e extinta na sequência, com todos os seus direitos e obrigações sendo absorvidos pela nova companhia.

Além dos 29 shoppings próprios, o conglomerado também administra outros 11 empreendimentos, totalizando a gestão de 40 unidades. Esse portfólio será o segundo maior do setor no Brasil em área de lojas (área bruta locável), com 1,4 milhão de m2 e cerca de 7 mil lojas.

O volume total de vendas dos shoppings próprios das duas empresas somou aproximadamente R$ 14,8 bilhões nos últimos 12 meses.
 
A nova companhia nasce com receita líquida de R$ 876 milhões e Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 630 milhões nos últimos 12 meses, o que a torna a terceira no ranking nestes indicadores entre as empresas listadas de shopping centers do País.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas