Com ajuda da Petrobras, Bolsa tem alta semanal de 2,26%

A empresa fechou o segundo trimestre com um lucro líquido de R$ 10,07 bilhões, alta de 45% em relação ao primeiro trimestre

Agência Brasil
03/Ago/2018
  • btn-whatsapp
Com ajuda da Petrobras, Bolsa tem alta semanal de 2,26%

O índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), fechou a semana estabelecendo uma alta de 2,26% com 81.434 pontos.

O resultado favorável da Bovespa teve influência da repercussão do lucro divulgado pela Petrobras no segundo trimestre do ano, que puxou a valorização de suas ações nesta sexta-feira, 3/08, em 3,63%.

LUCRO

A Petrobras fechou o segundo trimestre do ano com um lucro líquido de R$ 10,07 bilhões, alta de 45% em relação ao primeiro trimestre, quando o lucro foi de R$ 6,96 bilhões.

É o melhor resultado desde 2011. No segundo trimestre do ano passado atingiu R$ 316 milhões.

Com o resultado, a Petrobras fechou o primeiro semestre do ano com um lucro líquido de R$ 17 bilhões. Segundo a empresa, o “resultado positivo foi influenciado principalmente pelo aumento das cotações internacionais do petróleo, associado à depreciação do real em relação ao dólar.”

No mesmo período, o endividamento líquido caiu 13% em relação a dezembro de 2017, indo para US$ 73,66 bilhões, o menor desde 2012.

A geração operacional e a entrada de caixa de US$ 5 bilhões com os desinvestimentos no semestre foram os principais fatores para a redução da dívida líquida, cujo total passou a corresponder a 3,23 vezes o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda ajustado), comparado a 3,67 no fim de 2017.

O desempenho das operações da empresa manteve tendência positiva que já vinha sendo registrada em trimestres anteriores, com um lucro operacional 18% maior que o do primeiro semestre de 2017, totalizando R$ 34,5 bilhões, com menores despesas gerais e administrativas e menores gastos com ociosidade de equipamentos.

A produção total de óleo e gás foi de 2,7 milhões barris de óleo equivalente por dia (boed) no semestre.

DÓLAR

A moeda norte-americana fechou a semana em queda de 1,32%, contada a R$ 3,7071 na venda.

A baixa do dólar nesta sexta-feira representa a quinta queda consecutiva da moeda, totalizando 4,39% de desvalorização na semana.

O Banco Central segue sem efetuar leilões de swaps cambiais extraordinárias, realizando somente as ofertas tradicionais de venda futura da moeda norte-americana.

 

IMAGEM: Thinkstock

 

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas