Clima e demanda retraída reduzem preços de alimentos

Segundo dados da Ceagesp, volume comercializado no entreposto subiu 12,98%, passando de 256,3 mil toneladas, em abril, para 289,6 mil toneladas, em maio.

Agência Brasil
06/Jun/2017
  • btn-whatsapp
Clima e demanda retraída reduzem preços de alimentos

O preço de frutas, legumes, verduras e pescado caiu 7,91% em maio, de acordo com o Índice de Preços da Ceagesp (Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo).

No acumulado do ano, houve queda 8,47% e, nos últimos 12 meses, a retração foi de 15,35%.

A companhia atribui o recuo dos preços no mês ao aumento da oferta, impulsionado pelas condições climáticas e demanda retraída.

Caso as condições atuais permaneçam, não há perspectiva de elevação dos preços na maioria dos setores. 

De acordo com os dados, o volume comercializado no entreposto voltou a crescer, passando de 256.376 toneladas em maio de 2016 para 289.641 toneladas em maio deste ano, o que representa um aumento de 12,98%.

No acumulado de janeiro a maio, houve crescimento de 2,9%, com o volume passando de 1.339.442 toneladas negociadas em 2016 para 1.378.280 toneladas no mesmo período de 2017.

CESTA BÁSICA

O preço da cesta básica caiu em 16 capitais brasileiras em maio e subiu em 11 cidades, de acordo com um levantamento mensal do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) 

Pela Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, as maiores quedas foram registradas em Fortaleza (-4,39%), Palmas (-4,25%) e Salvador (-4,18%). O valor da cesta ficou mais caro, por outro lado, para quem mora no Recife (2,89%), em São Paulo (2,83%) e Aracaju (1,96%).

Nos últimos 12 meses, 16 cidades acumulam alta, com destaque para Natal (8,14%), Fortaleza (7,83%) e Aracaju (7,59%). As principais reduções nesse período foram verificadas em Belo Horizonte (-4,38%), Brasília (-4,32%) e Manaus (-2,89%).

Porto Alegre segue como a cidade com a cesta mais cara, com um total de R$ 460,65. Em seguida estão São Paulo (R$ 458,93), Florianópolis (R$ 446,52) e Rio de Janeiro (R$ 442,56). Os moradores de Rio Branco (R$ 333,15) e Salvador (R$ 351,31) são os que pagam, em média, o menor valor.

A batata registrou a maior alta nos preços na passagem de abril para maior. As maiores elevações ocorreram em São Paulo (26,09%), Curitiba (16,89%), Porto Alegre (16,61%), Brasília (14,59%) e Belo Horizonte (13,00%).

A manteiga também está entre os produtos com destaque de alta. Em maio, o preço foi mais alto em 24 cidades. Recife (12,23%) teve o maior aumento. Apenas Goiânia (-1,57%), Palmas (-1,13%) e Rio Branco (-1,07%) registraram queda no preço. 

FOTO: Thinkstock

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Fev
Mar
Abr
IGP-M
1,1612
1,1477
1,1466
IGP-DI
1,1535
1,1557
1,1353
IPCA
1,1054
1,1130
1,1213
IPC-Fipe
1,1033
1,1096
1,1226