Centerplex entra com pedido de recuperação judicial

A receita total das operações chegou a zero e assim permaneceu por mais de seis meses. Esse cenário contribuiu diretamente para o desequilíbrio financeiro da empresa

Redação DC
22/Dez/2021
  • btn-whatsapp
Centerplex entra com pedido de recuperação judicial

Após quase dois anos com resultados negativos por conta da pandemia, o Grupo Centerplex Cinemas, com 90 salas de cinemas presentes em 10 estados brasileiros, deu entrada no pedido de Recuperação Judicial, na última semana, com o processo distribuído para 3º Vara de Recuperação Judicial e Falência com o objetivo em dar continuidade ao seu negócio e proteger a empresa para assim cumprir o plano a ser apresentado em até 60 dias.

Os impactos decorrentes da Covid-19 foram devastadores desde o final de fevereiro de 2020 e ainda antes das determinações de fechamento das operações de cinema no país, o Centerplex já enfrentava sutil resfriamento do mercado de exibição cinematográfica.

Este cenário agravou-se em março do mesmo ano, com o clima de insegurança gerado a partir da sinalização da pandemia por meio da Organização Mundial de Saúde (OMS) e teve seu desfecho mais drástico com as sucessivas determinações de fechamento das operações em cada município do país, iniciadas pelos cinemas de Pernambuco em 18 de março de 2020.

A receita total das operações, antes inexpressivas próximas ao fechamento, chegaram a zero e assim permaneceram por mais de seis meses. Esse cenário contribuiu diretamente para o desequilíbrio financeiro da empresa, comprometendo os contratos em vigor, serviços contratados, produtos adquiridos e consequentemente a manutenção dos postos de trabalho.

“Entramos com o pedido de recuperação judicial na hora exata e temos grande oportunidade de voltar a crescer nesta nova etapa”, diz Marcio Eli, CEO do Centerplex.

Mesmo após a autorização para abertura dos cinemas, os resultados seguiram extremamente deficitários. Além da limitação de capacidade imposta pelo poder público, o setor foi fortemente impactado pela falta de filmes.

Os constantes adiamentos, cancelamentos de lançamentos e a exibição de diversos filmes diretamente na plataforma streaming afetaram significativamente no retorno do público para salas de cinemas.

Ao longo de 2020 os complexos do Grupo Centerplex Cinemas permaneceram fechados pelo período de seis a nove meses e em 2021 por volta de três meses.

Todos esses fatores, fizeram com que a queda do faturamento do Grupo fosse superior a 80%, em contra partida os custos para manter a estrutura, mesmo com as salas fechadas, eram extremamente elevados (custos com pessoal, alugueis nos Shoppings Centers, energia por demanda contratada, entre outros).

“Ao longo deste período, o Centerplex buscou negociar com seus credores uma dívida de cerca de R$23 milhões, reduzir custos e captar linhas de crédito junto às instituições financeiras, entretanto devido o cenário econômico mundial e a falta de perspectivas do setor, isto não foi possível”.

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Fev
Mar
Abr
IGP-M
1,1612
1,1477
1,1466
IGP-DI
1,1535
1,1557
1,1353
IPCA
1,1054
1,1130
1,1213
IPC-Fipe
1,1033
1,1096
1,1226