CACB propõe parceria ao ministro das Cidades para desenvolvimento urbano

Convidado do 2º Ciclo de Debates CACB 2024, Jader Barbalho Filho (ao centro) falou de temas como o PAC e o Minha Casa, Minha Vida, que devem ser encabeçados pela iniciativa privada

Redação DC
13/Mar/2024
  • btn-whatsapp
CACB propõe parceria ao ministro das Cidades para desenvolvimento urbano

*com informações da CACB

O ministro das Cidades, Jader Barbalho Filho, foi o convidado do 2º Ciclo de Debates da CACB, realizado na terça-feira (12), na sede da entidade, em Brasília, com mais de 50 participantes, entre parlamentares, dirigentes e executivos de federações, associações comerciais, embaixadores e representantes do corpo diplomático internacional.

“Estamos aqui porque temos o compromisso com quem produz. Precisamos somar esforços. Os setores privado e público têm seus papéis, cada um cuidando da sua parte. Vamos fazer com que o modelo de desenvolvimento brasileiro aconteça”, declarou o ministro.

Durante o evento, a CACB entregou a Jader um termo de compromisso, em que propõe ao Ministério das Cidades sua colaboração na reconstrução e melhoria da visibilidade da Política Nacional de Desenvolvimento Urbano (PNDU). A parceria teria o objetivo de estimular a economia local e a participação de lideranças associativistas e empresariais para o desenvolvimento econômico dos seus municípios.

“Com a missão de promover a defesa eficaz dos interesses nacionais das Associações Comerciais, através da articulação política estratégica, e de desenvolver um papel central na organização e fortalecimento da sociedade civil, a CACB tem grande interesse em apoiar na discussão e elaboração de propostas para enfrentar os problemas centrais que atingem nossas cidades”, diz o documento.

Entre os problemas a serem enfrentados, o ministro das Cidades citou a falta de água em cidades do Nordeste, o déficit habitacional e a prevenção aos desastres climáticos. “Nossa meta é chegar a até 10 milhões de unidades habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida até o final do mandato do presidente Lula”, disse Jader. Para ele, o programa é um dos principais motores da construção civil.

“O interesse comum é fazer o país crescer. Não acredito que ninguém sozinho consiga desenvolver esse país. Precisamos estar juntos nessas ações, como construções de escolas, creches, centros de saúde, além do desenvolvimento da matriz de ônibus elétricos, como forma de estímulo à indústria nacional e à geração de empregos”, declarou. Um Brasil mais próspero, segundo ele, passa pela geração de emprego e renda.

O presidente da CACB, Alfredo Cotait Neto, reforçou o interesse de aproximar as entidades estaduais e municipais das demandas do Ministério das Cidades, com o intuito de estimular o desenvolvimento de negócios. “As ACEs atuam de forma municipalista e vemos um grande potencial em integrar as ações dessas entidades com as ações do ministério”, afirmou Cotait.

O superintendente da CACB, Carlos Alberto Rezende, lembrou que a entidade integra o Conselho das Cidades (ConCidades), como representante dos empresários. Rezende também citou a importância do estímulo às ações e ao desenvolvimento sustentável das empresas, realizado por meio do programa AL-Invest Verde, coordenado pela União Europeia, e executado no Brasil pela CACB.

No mês de outubro, inclusive, a Confederação realiza, em Belém, no Pará, um Encontro de Sustentabilidade, com foco na COP30, que será realizada na mesma cidade, em 2025. Promovido pelo AL-Invest Verde, o evento reunirá representantes empresariais de toda a América Latina, com intuito de dar luz a ações que estimulem iniciativas sustentáveis nas empresas brasileiras, além, também, de servir como preparação do governo brasileiro para a COP29, que acontece em novembro deste ano, no Azerbaijão. Uma das pautas do encontro é o investimento em empreendedorismo na região amazônica.

“Contem com a minha participação no evento de vocês. Inclusive, acredito que a CACB pode contribuir com diversas discussões sobre sustentabilidade dentro do Ministério”, sugeriu Jader, citando um seminário sobre construções sustentáveis que será organizado pela Pasta.

Já o senador Efraim Filho comentou sobre agendas importantes para o setor, como a reforma tributária, que, em sua opinião, até hoje gera divergências. “Defendemos um Estado que possa alcançar o equilíbrio fiscal, diminuindo suas despesas e não onerando quem produz. A economia criativa tem tudo a ver com esse olhar de vanguarda que a CACB traz”, frisou o senador.

O evento contou com a participação de embaixadores e membros das embaixadas, entre eles, a embaixadora de Gana, Abena Busia; o embaixador da Sérvia, Aleksandar Ristic; o encarregado de Negócios de Singapura, Desmond Ng; a encarregada de Negócios da Sérvia, Jelena Blazevic; além de membros do corpo diplomático das embaixadas da Espanha, Paraguai, Turquia e União Europeia.

 

IMAGEM: CACB/divulgação