Boa Vista: 80% dos consumidores já tiveram crédito negado

Estudo da empresa mostra que os principais responsáveis pela não obtenção de empréstimos são as restrições ao nome e o score de crédito baixo

Redação DC
19/Jan/2022
  • btn-whatsapp
Boa Vista: 80% dos consumidores já tiveram crédito negado

Pesquisa realizada pela empresa de inteligência analítica Boa Vista mostra que 80% dos consumidores já tiveram problemas ao tentar solicitar crédito.  

Segundo o estudo, as principais causas apontadas pelos entrevistados são: ter restrições no nome, mencionada por 51% dos respondentes; possuir score de crédito baixo (31%); não ter como comprovar renda (12%); não ter carteira assinada (4%) e não ter conta em banco (2%).

A pesquisa também verificou que nos últimos dois anos o Cadastro Positivo auxiliou 41% dos entrevistados a melhorarem sua nota de crédito (score) e reduziu, em média, 10,4% as taxas cobradas no crédito pessoal não consignado para novos tomadores de crédito.

Outros 33% dos entrevistados contaram que o Cadastro Positivo ajudou a nota de crédito a ficar na mesma faixa de classificação e 26% alegam que tiveram queda no score.

Outro ponto analisado foi o entendimento sobre o Cadastro Positivo. Em 2021, a Boa Vista constatou que aproximadamente dois terços dos consumidores afirmam saber do que se trata o Cadastro Positivo.

O conhecimento espontâneo da iniciativa cresceu nos últimos três anos, com 78% dos consumidores que afirmaram ter ciência deste banco de dados, frente aos 61% registrados em 2018.

Mas, entre as pessoas que dizem não conhecer o Cadastro Positivo, a maioria também não sabe como e onde consultar suas informações.

Cerca de 40% dos consumidores entendem que o Cadastro Positivo deve fazer com que sejam reconhecidos pelas contas pagas e não somente por dívidas. O estudo também aponta que 60% dos consumidores que conhecem o próprio score, atribuem grande importância da nota na vida financeira.

“Entendemos que o fornecimento de informações mais precisas para concessão de crédito pode proporcionar impactos positivos para a economia do país, através, por exemplo, de uma possível diminuição da taxa de juros médio e da inclusão de consumidores no mercado de crédito”, explica Flávio Calife, economista da Boa Vista.

 

IMAGEM: Thinkstock

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Fev
Mar
Abr
IGP-M
1,1612
1,1477
1,1466
IGP-DI
1,1535
1,1557
1,1353
IPCA
1,1054
1,1130
1,1213
IPC-Fipe
1,1033
1,1096
1,1226