Até agosto, supermercados acumulam alta de 3,94% em vendas

Mesmo com a alta, otimismo dos empresários do setor apresentou retração no mês, caindo de 60 para 59,1 pontos devido à pandemia e às incertezas econômicas, segundo a Abras

Redação DC
15/Out/2020
  • btn-whatsapp
Até agosto, supermercados acumulam alta de 3,94% em vendas

Até agosto os supermercados brasileiros acumularam crescimento real (deflacionado pelo IPCA/IBGE) de 3,94% na comparação com o mesmo período de 2019, de acordo com o Índice Nacional de Vendas da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), apurado pelo Departamento de Economia e Pesquisa da entidade.

No mês, a alta foi de 2,56% em relação a julho, e de 4,44% na comparação com agosto do ano anterior. 

João Sanzovo Neto, presidente da Abras, afirma que, como os estabelecimentos do setor continuaram funcionando durante a pandemia, por serem atividade essencial, os resultados têm se mantido próximos da projeção da associação divulgada no início do ano, de 3,9% de crescimento para 2020.

LEIA MAIS:  Volta à normalidade foi negativa para as vendas dos supermercados

"O pagamento do auxílio emergencial e outros programas de estímulo do governo federal ajudaram a evitar uma queda mais abrupta da economia", destaca.

As restrições mais brandas em muitas localidades do Brasil, devido ao controle da disseminação da covid-19 e a queda no número de casos da doença e de mortes, têm impulsionado a volta gradual do consumo e a melhora em diversas atividades econômicas, completa. "Seguiremos com os nossos rígidos protocolos e trabalhando para manter a segurança dos nossos clientes e colaboradores, e com a esperança de que o pior tenha ficado para trás.” 

CONFIANÇA

O otimismo dos empresários de supermercado apresentou retração no mês de agosto, chegando a 59,1 pontos (numa escala de 0 a 100) ante os 61 pontos registrados em julho, de acordo com o Índice de Confiança do Supermercadista, elaborado pela Abras em parceria com a GfK. 

O resultado foi impactado pelas incertezas econômicas geradas pela pandemia.

ABRASMERCADO

Em agosto, o Índice Abrasmercado (cesta dos 35 produtos mais vendidos nos supermercados do país) registrou alta de 1,83% na comparação com julho, passando de R$ 542,91 para R$ 552,84. Já na comparação com agosto de 2019 o valor da cesta apresentou crescimento de 16,48%.

As maiores altas foram registradas nos produtos: óleo de soja, 14,16%, tomate, 13,82%, queijo muçarela, 8,84%, pernil, 8,65%, arroz, 8,21%. As maiores quedas nos preços foram verificadas nos itens: cebola, -28,01%, batata -16,54%, feijão, -4,81%, ovo, -4,42%, e farinha de mandioca, -3,71%.

REGIÕES

A região Sudeste foi a que registrou maior aumento no valor da cesta Abrasmercado em agosto, 3,64%, passando de R$ 525,87 registrado em julho, para R$ 545. A única variação negativa foi verificada na região Norte, -0,02%, chegando ao valor de R$ 609,58.

FOTO: Agência Brasil  

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas