Após 6 anos de queda, financiamento de veículos cresce

Em 2017, foram financiadas 1,8 milhão de unidades, aumento de 3,5%. Crescimento das vendas é reflexo da redução da taxa básica de juros recuperação do desemprego, de acordo com B3

Estadão Conteúdo
17/Jan/2018
  • btn-whatsapp

Após seis anos de queda, o número de veículos zero quilômetro que foram adquiridos por meio de financiamento voltou a crescer em 2017. Foram 1,8 milhão de unidades financiadas no ano passado, alta de 3,5% em relação ao resultado de 2016, mostra levantamento feito pela B3, que considera automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e motocicletas.

O aumento das vendas financiadas, segundo analistas, é reflexo da redução da taxa básica de juros, a Selic, e do fato de o desemprego ter começado a cair em 2017. As condições mais favoráveis, que reduzem o risco de calote, levaram o brasileiro a demandar mais crédito e diminuíram um pouco a restrição dos bancos em liberar o dinheiro.

De acordo com a Fenabrave, associação que representa as concessionárias de veículos, o nível de aprovação de pedidos de financiamentos, que durante o período de retração do setor era de três a cada 10, subiu para quatro a cada 10 no segundo semestre do ano passado. Em 2012, quando as vendas bateram recorde, chegou a ser de sete a cada 10.

O crescimento das vendas financiadas, no entanto, foi menor do que o do mercado de veículos como um todo, que também inclui as vendas à vista. Enquanto os financiamentos subiram 3,5%, o mercado avançou 9,2%. Boa parte da discrepância se deve ao fato de que a retomada do mercado, que subiu em 2017 depois de quatro anos de queda, foi impulsionada principalmente pela demanda de consumidores de maior renda, que dependem menos do crédito e foram menos afetados pela crise econômica.

SEGMENTOS

Em um recorte que considera somente os veículos leves novos, os financiamentos cresceram 7% no ano passado em relação a 2016, para 1,138 milhão de unidades, a primeira alta desde 2012. O volume representa 52% das vendas totais de veículos leves em 2017, um pouco abaixo dos 53% registrados no ano anterior.

As vendas financiadas de veículos pesados, que somam caminhões e ônibus, também cresceram, a um ritmo de 12,5%, para 63,8 mil unidades. Já as motos, que são um segmento mais dependente do crédito, tiveram retração de 3,5% nos financiamentos, para 593,7 mil unidades.

DEZEMBRO 

O último mês de 2017 também apresentou crescimento nas vendas financiadas, considerando todos os segmentos. Foram 170,9 mil unidades vendidas com a ajuda do crédito em dezembro, 8,7% a mais que em igual mês do ano anterior e 9,7% de alta em relação a novembro.

NOVOS E USADOS

Na conta da B3 que considera tanto os veículos novos quanto os usados, os financiamentos cresceram 9,7% em 2017, para 5,1 milhões de unidades. Só em dezembro, foram 470,9 mil veículos, avanço de 4,8% na comparação com dezembro de 2016 e de 4,9% ante o resultado de novembro. A participação do Crédito Direto ao Consumidor (CDC), modalidade de financiamento mais usada no mercado, subiu de 80,7% em 2016 para 83,5% em 2017.

IMAGEM: Thinkstock

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas