Negócios

Setembro marca segundo melhor mês em vendas para revenda de veículos


Mercado de carros novos está próximo do crescimento registrado no segmento de usados, que nos últimos anos apresentava desempenho melhor que o de zero quilômetro


  Por Estadão Conteúdo 03 de Outubro de 2017 às 10:20

  | Agência de notícias do Grupo Estado


Setembro foi o segundo melhor mês do ano em vendas de veículos novos, com 119,2 mil unidades. O resultado só perde para o de agosto, que teve três dias úteis a mais e vendas de 216,5 mil unidades.

O volume é 24,5% maior que o do mesmo mês de 2016. É o quinto crescimento consecutivo no comparativo anual.

No ano, a alta acumulada é de 7,8%, com 1,62 milhão de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus vendidos. Dados oficiais serão divulgados hoje.

Houve queda de 8% em relação a agosto, que foi mais longo. Porém, a média diária de vendas foi a melhor em 21 meses, com 9,7 mil unidades. Não se registrava número tão alto desde dezembro de 2015, quando mais de 10 mil carros foram emplacados a cada dia útil.

O diretor da consultoria ADK Automotive, Paulo Roberto Garbossa, avalia que, em razão de lançamentos em todos os segmentos - de carros compactos a utilitários esportivos - "não é improvável que o ano feche com crescimento de dois dígitos". A previsão das montadores é de alta de 7,3% ante 2016, para 2,2 milhões de veículos.

USADOS

Com o resultado de setembro, o mercado de carros novos está próximo do crescimento registrado no segmento de usados, que nos últimos anos apresentava desempenho melhor que o de zero quilômetro.

Segundo a Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos (Fenauto), de janeiro até agora foram vendidos 8,22 milhões de veículos usados (sem incluir motos), 8,2% a mais que em 2016.

No período mais crítico da crise, consumidores optaram por trocar o carro usado por outro usado, em razão do preço. "Agora, com a melhora da economia, voltaram a trocar usados por novos, por isso os porcentuais se aproximaram", diz Garbossa.

As vendas de seminovos, com até três anos de uso, aumentaram 21,8% no ano. As de veículos com quatro a 12 anos ficaram estáveis, e as daqueles com mais de 13 anos caíram 3,2%.

MAIS VENDIDOS

A lista de carros novos mais vendidos em setembro teve mudança importante. O recém-lançado compacto Kwid, da Renault, ficou em segundo lugar, com 10,3 mil unidades, desbancando o Hyundai HB20 para a quarta posição (8,5 mil).

O Chevrolet Onix continuou na liderança (17,2 mil) e o Ka manteve a terceira posição (8,7 mil).

Com o Kwid, a Renault subiu e ocupou a quarta posição entre as marcas mais vendidas (10,6% das vendas) e a Hyundai caiu para o sexto lugar (8,7%). A GM ficou com 18,2% do mercado, a Fiat com 13%, a Volkswagen com 12% e a Ford com 9,7%.

FENABRAVE

Balanço divulgado nesta terça-feira (3/10), pela Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), entidade que representa as concessionárias de veículos, mostra que as vendas do setor cresceram 24,55% no mês passado, comparativamente a igual período de 2016.

No total, 199,2 mil veículos foram comercializados em setembro, entre carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus.

 A média diária de vendas foi de 9,96 mil unidades - 547 a mais do que a de agosto -, mas como setembro teve um calendário mais curto, com três dias úteis a menos, seu resultado foi 7,99% inferior ao total vendido no mês anterior.

 O desempenho levou para 1,62 milhão de unidades o volume vendido desde o início do ano, 7,36% a mais do que o número dos nove primeiros meses de 2016.

 Só na categoria de carros de passeio e comerciais leves - como picapes e vans -, as vendas chegaram a 193,6 mil unidades em setembro, 24,91% acima do total apurado no mesmo mês do ano passado.

 Na mesma base comparativa, as vendas de caminhões subiram 9,34%, chegando a 4,5 mil, e as de ônibus tiveram alta de 33,45%, para 1,1 mil unidades.