Negócios

Brasileiro planeja economizar nas festas de fim de ano


Pesquisa da Boa Vista revela que 72% dos consumidores gastarão menos dinheiro neste Natal e Fim de Ano, em relação ao ano passado


  Por Redação DC 14 de Dezembro de 2018 às 10:52

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Por sua vez, 11% afirmam que irão gastar mais, ante 9% em 2017. Por outro lado, o valor médio previsto com todos os gastos, por conta desta época do ano, será de R$ 482,54, 4,5% maior do que o previsto no ano passado (o tíquete médio em 2017 foi de R$ 461,54).

São informações que emergem da Pesquisa Hábitos de Consumo de Natal e Fim de Ano elaborada pela Boa Vista, com mais de 1.300 pessoas em todo o país, entre outubro e novembro.

O levantamento também identificou que o impacto dos que gastarão menos nesta data comemorativa será perceptível na quantidade de presentes. 68% comprarão menos presentes neste Natal. No ano passado 70% afirmaram que gastariam menos na mesma ocasião.

LEIA MAIS: Governo abocanha quase 30% de imposto nas compras de Natal

Para metade dos consumidores entrevistados pela Boa Vista, a ceia terá a mesma fartura do ano anterior. Para 33% a deste ano será menos farta, e para 17% será mais farta. Os percentuais deste ano permanecem estáveis em comparação aos de 2017.

A pesquisa apurou que 38% das compras serão realizadas em lojas de departamentos, centros comerciais, galerias e hipermercados. Lojas de rua ocupam a 2ª posição com 32%, seguidas por lojas de shoppings (30%). Percentuais similares aos de 2017.

Já 21% dos consumidores farão as compras de Natal por meio de e-commerce (eram 25% em 2017). Destes, 42% sentem-se seguros ao comprar por meio de comércio eletrônico, e apenas 14% acreditam que é alta a probabilidade de fraude.

67% dos consumidores pagarão à vista a maior parte das compras de Natal. Uma queda de quatro pontos percentuais, na comparação com o ano passado, quando 71% informaram que o pagamento seria feito à vista.

Dos que pagarão à vista, 45% irão utilizar o dinheiro como principal meio de pagamento, seguido por cartão de débito (36%). O cartão de crédito aparece como a 3ª opção de pagamento à vista. O boleto/carnê ocupa o 4ª lugar, com 3% dos respondentes.

Dos entreevistados, 33% irão parcelar o valor gasto com as compras de Natal e Final de Ano (quatro pontos percentuais a mais, se comparado ao ano anterior). Destes, 58% irão parcelar em até três vezes e outros 42% parcelarão o valor a pagar acima de quatro vezes.

O valor médio a ser gasto por presente, por pessoa, será de R$ 53,37 este ano. Um aumento de 1% na comparação com o valor gasto de R$ 52,86, em 2017. Ao analisar a série histórica, desde 2014, este valor médio é o mais alto dos últimos cinco anos.

Do total de entrevistados, 57% pretendem gastar até R$ 500 com as compras de Natal e Fim de Ano, incluindo aqui desde despesas com a compra de alimentos, presentes, viagens ou mesmo outras necessidades. Eram 60% no ano passado. 14% irão gastar entre R$ 501 e R$ 700. 10% entre R$ 701 e R$ 900 e 19% acima de R$ 900.