Finanças

Recursos do Pronampe devem esgotar no início da próxima semana


Em dez dias foram emprestados mais de 40% dos R$ 25 bilhões reservados para essa nova rodada de empréstimos do programa


  Por Agência Brasil 20 de Julho de 2021 às 13:27

  | Agência de notícias da Empresa Brasileira de Comunicação.


A nova rodada de crédito do Pronampe já emprestou 40% dos recursos após 10 dias do seu início, segundo o Ministério da Economia. Mais de R$ 10 bilhões, dos R$ 25 bilhões reservados pelo programa, foram contratados por 130 mil empresas no período.

A previsão é que os recursos se esgotem no início da próxima semana.

Os empréstimos do Pronampe são destinados a microempresas com receita bruta de até R$ 360 mil ou pequenas empresas com receita bruta de até R$ 4,8 milhões em 2020.

 As operações têm 48 meses, com 6 a 11 meses de carência (pausa para o pagamento da primeira prestação), dependendo do banco.

Os juros equivalem à taxa Selic (juros básicos da economia) mais 6% ao ano. Atualmente, a Selic está em 4,25% ao ano. Cada empresa poderá pegar até R$ 150 mil em crédito, somadas as operações já contratadas.

Os recursos podem ser usados para investimentos e capital de giro isolado ou associado ao investimento. Dessa forma, além de realizarem reformas e adquirirem máquinas e equipamentos, as micro e pequenas empresas podem usar os recursos do Pronampe para despesas operacionais, como pagamento de salário e compra de matérias-primas e de mercadorias.

Criado no ano passado para ajudar micro e pequenas empresas afetadas pela pandemia de covid-19, o Pronampe tornou-se permanente neste ano, mas o volume que pode ser emprestado depende da quantia injetada no Fundo Garantidor de Operações (FGO).

Com aportes de recursos do Orçamento, o FGO foi criado para cobrir eventuais calotes dos tomadores e facilitar a concessão de empréstimos.

Neste ano, o governo injetou R$ 5 bilhões no fundo, o que deve garantir R$ 25 bilhões em empréstimos nesta fase do Pronampe, com a alavancagem (multiplicação de crédito) dos bancos. O governo prevê atender de 280 mil até 325 mil empresas na atual rodada.

 

IMAGEM: Thinkstock






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade