Finanças

Inadimplência dos consumidores tem queda no primeiro semestre


Com a crise, cautela das famílias na tomada de crédito contribui para a diminuição do fluxo de inadimplência, de acordo com a Boa Vista SCPC


  Por Redação DC 06 de Julho de 2018 às 09:38

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


 A inadimplência do consumidor caiu 1,7% no acumulado do primeiro semestre de 2018, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC.
Na comparação mensal com ajuste sazonal, junho apresentou variação negativa de 4,5% frente a maio.
 
Quando comparado o resultado contra o mesmo mês de 2017, o indicador evoluiu 4,5%. No acumulado em 12 meses (julho de 2017 até junho de 2018 frente aos 12 meses antecedentes), houve redução de 3,8%.
 
Regionalmente, na análise acumulada do semestre, ocorreu queda nas regiões Norte (-6,0%), Centro-Oeste (-4,5%), Nordeste (-1,9%), Sudeste (-1,8%). Apenas a região Sul registrou evolução no período (2,4%).
 
As adversidades ocorridas na economia ao longo dos últimos anos geraram grande cautela nas famílias, inibindo o consumo e a tomada de crédito, contribuindo para a diminuição do fluxo de inadimplência.
 
Dado o ritmo lento da recuperação da atividade econômica e do mercado de trabalho, a queda nos registros persiste.
 
A expectativa é de que, com a diminuição da desocupação e juros menores, ocorra uma evolução mais consistente na demanda por crédito, que deverá colaborar para a manutenção de um ritmo estável do estoque de inadimplência.
 
LEIA MAIS: Envidamento das famílias teve leve queda em junho
 
O indicador de registro de inadimplência é elaborado a partir da quantidade de novos registros de dívidas vencidas e não pagas informados à Boa Vista SCPC pelas empresas credoras. As séries têm como ano base a média de 2011 = 100 e passam por ajuste sazonal para avaliação da variação mensal.
 
A partir de janeiro de 2014, houve atualização dos fatores sazonais e reelaboração das séries dessazonalizadas, utilizando o filtro sazonal X-12 ARIMA, disponibilizado pelo US Census Bureau.
 
Clique aqui para ver a série histórica do indicador.
 
IMAGEM: Thinkstock