Economia

Varejo mostra sinais de recuperação em setembro


Os dados parecem indicar um maior dinamismo, que poderá se intensificar pelos recursos adicionais injetados pela liberação do FGTS e pela continuidade da redução da taxa básica de juros, segundo economistas da ACSP


  Por Instituto Gastão Vidigal 14 de Novembro de 2019 às 09:46

  | Da equipe de economistas da Associação Comercial de São Paulo (ACSP)


De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as vendas do varejo restrito (que não inclui veículos e material de construção) registraram alta de 0,7%, na passagem de agosto para setembro, livre de efeitos sazonais, marcando o quinto resultado positivo consecutivo.

O varejo ampliado (que também inclui os segmentos anteriores) mostrou aumento no volume de vendas de 0,9%, na mesma base de comparação, configurando a sétima alta consecutiva. Também houve aceleração do crescimento de ambos tipos de varejo em relação a setembro do ano passado (2,1% e 4,4%, respectivamente – ver tabela abaixo) e no acumulado em 12 meses (1,5% e 3,8%, respectivamente).

Esses resultados se explicariam, pelo menos em parte, pelo fato de que o mês apresentou dois dias úteis a mais em relação a 2018, mas também refletiriam a maior disponibilidade de crédito e a melhora de suas condições, conjuntamente à recuperação da confiança do consumidor, além do efeito positivo do início da liberação do FGTS.

Desse modo, na comparação anual, o aumento do volume de vendas não se restringiu aos itens mais básicos, tais como farmácias e supermercados, alcançando também móveis e eletrodomésticos e artigos de uso pessoal. No varejo ampliado, o volume comercializado de veículos e material de construção também ganhou força.

Em síntese, os dados do varejo em setembro parecem indicar um maior dinamismo, que poderá se intensificar pelos recursos adicionais injetados pela liberação do FGTS e pela continuidade da redução da taxa básica de juros que, ao lado do aumento da concorrência bancária, deverão contribuir para um maior barateamento do crédito.