Economia

IGP-M acumula alta de 32,02% em 12 meses até abril


Apesar de desacelerar para 1,51%, taxa inferior à alta de 2,94% registrada em março, esse é o maior resultado para o mês desde 1995, segundo a FGV


  Por Redação DC 29 de Abril de 2021 às 11:54

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel do país, registrou inflação de 1,51% em abril deste ano, taxa inferior aos 2,94% de março.

Com o resultado, o indicador acumula taxas de inflação de 9,89% ao ano, e de 32,02% em 12 meses, de acordo com a Fundação Getulio Vargas (FGV).

A queda da taxa, de março para abril, foi puxada pelo comportamento dos preços no atacado, varejo e construção. Segundo André Braz, coordenador dos Índices de Preços na FGV, a desaceleração dos combustíveis orientou o recuo da inflação ao produtor e ao consumidor.

"Apesar disso, a variação do IGP-M avançou mais em 12 meses, tendência que deve continuar até o próximo mês, dado que o IGP-M havia subido apenas 0,28% em maio de 2020", afirma

A inflação do Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede o atacado, recuou de 3,56% em março para 1,84% em abril. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) teve comportamento semelhante, ao cair de 0,98% para 0,44%. Já a inflação do Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) caiu de 2% para 0,95%. 

FOTO: Rovena Rosa/Agência Brasil    * Com informações da Agência Brasil e Estadão Conteúdo






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade