Qual o segredo da Renner?

Com o melhor desempenho entre as melhores empresas do país, o sucesso da rede é atribuído a seu presidente, José Galló (na foto), que em 26 anos fez a varejista saltar de oito para 480 lojas

Redação DC
14/Ago/2018
  • btn-whatsapp
Qual o segredo da Renner?

A varejista de moda Renner acaba de sagrar-se Empresa do Ano, título atribuído pela revista Exame, que realiza a premiação Melhores e Maiores em parceria com a Fipecafi, da Universidade de São Paulo. A empresa se destacou entre as 500 maiores companhias do pais em 20 setores analisados.

A Renner mostrou excelentes resultados mesmo nesse período turbulento da economia, que castiga as empresas do setor. No ano passado, abriu 70 lojas e ampliou em 10% o quadro de funcionários.

Seu faturamento alcançou US$ 2,2 bilhões, o que garantiu um lucro líquido de US$ 221 milhões, 14% superior ao de 2016.

Entre as varejistas de capital aberto, a Lojas Renner é a líder em produtividade, com a maior criação de riqueza por empregado, de acordo com o levantamento de Exame.

LEIA MAIS: 7 lições de quem construiu uma potência no varejo

O sucesso da companhia, segundo analistas consultados pela publicação, se deve em grande parte a José Galló, que comanda a rede desde 1991.

Quando a família dona da Renner colocou Galló no comando da empresa, há 26 anos, a rede operava oito lojas no Rio Grande do Sul, com 800 funcionários. Hoje são 480 unidades, que empregam quase 20 mil funcionários Brasil afora.

Galló foi eleito o “Melhor CEO do Brasil” em 2016, premiação da revista Época Negócios, e “Executivo de Valor” em cinco edições do prêmio pelo jornal Valor Econômico.

No ano passado ele publicou o livro "O Poder do Encantamento"(Ed.Planeta), no qual relata sua trajetória no mercado e sua experiência no comando da varejista de moda.

“Encantar significa superar as expectativas, ir um passo adiante ao entregar mais do que esperam de nós”, afirma Galló em seu livro.

À frente da Renner, foi muito além das expectativas. Seu contrato original com a rede era de apenas três meses, tempo que teria para promover o realinhamento estratégico da empresa. Ficou por lá quase três décadas.

Na década de 1990 a Renner passava por um período complicado. Ela estava perdendo clientes ao manter a fama de careira em meio a um período de inflação elevada.

Nesse cenário, Galló iniciou um trabalho de mudança do mix, mais condizente com o bolso do crediarista da loja, com foco prioritário na consumidora, responsável por 80% das decisões de compra da família, além de comandar a modernização dos pontos de venda e a criação de um novo logotipo.

Também criou uma espécie de Black Friday para desafogar estoques de conceito ultrapassado da coleção anterior ao oferecer pagamento em quatro vezes sem juros e primeira parcela só para janeiro. A estratégia funcionou.

Ao longo das décadas seguintes a Renner se manteve fiel à meta de oferecer roupas com preços acessíveis para mulheres de 30 a 40 anos que compram para toda a família.

Em 2011 a Renner assumiu o controle da rede Camicado, ação considerada importante para revitalizar os negócios e melhorar os resultados após a rede adotar o conceito lifestyle.

No último ano, entrou mais fortemente nos meios digitais, enquanto continuou a avançar em pontos físicos, tanto com a marca principal quanto com a aquisição e criação de outras, como a YouCom (moda jovem). O processo de criação de novas marcas ainda está em curso: Galló vai preparar o lançamento da Ashua, de roupas plus size, em 2019.

LEIA MAIS: Centenária, Casas Pernambucanas sai de eletroeletrônicos e resgata a origem

Será sua última ação à frente da rede. Galló deixa a Renner no próximo ano. Para os analistas ouvidos por Exame para a premiação Melhores e Maiores, o grande desafio da empresa será dar sequência à gestão atual.  

O sucessor deve vir de dentro da própria rede. Segundo a Exame, os dois mais cotados para o cargo são os diretores de produto Fabio Faccio, responsável pela área feminina, e Henry Costa, de moda masculina, infantil, calçados e perfumaria. 

VEJA A LISTA DAS EMPRESAS PREMIADAS:

Varejo: Lojas Renner
Atacado: BR
Autoindústria: Mahle
Bens de capital: Aeris Energy
Bens de consumo: Natura
Eletroeletrônicos: Multilaser
Energia: Focus
Farmacêutico: Cristália
Indústria da construção: MRV
Indústria digital: Dataprev
Infraestrutura: Cedae
Mineração: Vale
Papel e celulose: Klabin
Química e petroquímica: Oxiteno Nordeste
Saúde: Notredame Intermédica
Serviços: Cielo
Siderurgia e metalurgia: Usiminas
Telecomunicações: TData
Têxtil: Beira Rio
Transportes: MRS

 

IMAGEM: Divulgação

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas