Poit quer trazer para São Paulo o jeito Zema de governar

O pré-candidato ao governo paulista pelo Novo foi sabatinado por empresários e lideranças políticas na Associação Comercial de São Paulo

Renato Carbonari Ibelli
01/Ago/2022
  • btn-whatsapp
Poit quer trazer para São Paulo o jeito Zema de governar

O deputado federal Vinicius Poit (Novo) quer trazer para São Paulo o estilo Romeu Zema de governar, caso sua candidatura ao governo paulista venha a ser vitoriosa.

Zema caminha para uma reeleição tranquila em Minas, e deve liquidar a fatura já no primeiro turno. Para Poit, o caminho é bem mais complicado. Ele oscila entre 1% e 3% das intenções de votos, dependendo do instituto que realiza a pesquisa.

Mas seu discurso é alinhado ao do correligionário mineiro. Poit quer migrar a estrutura central do governo paulista do Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, para o centro da capital, mais ou menos como Zema fez com o Palácio das Mangabeiras, que não é utilizado por ele como residência oficial e hoje virou um centro de exposição.

“O governador precisa subir em um helicóptero para sair do Palácio dos Bandeirantes e ir ao centro. Não tem condição essa ineficiência logística”, comentou o pré-candidato ao governo paulista durante sabatina realizada nesta segunda-feira (01/08), pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

A proposta de Poit é utilizar imóveis públicos vagos na região central da capital para montar a estrutura do seu eventual governo. Nessa mudança, haveria também um enxugamento de secretarias estaduais, das atuais 27 para 17, segundo o pré-candidato.  

A redução da estrutura do governo é outro ponto de convergência com a gestão mineira, que cortou 50 mil cargos comissionados. “Quero fazer uma reforma administrativa séria, que vai valorizar o bom servidor, mediante avaliação de desempenho”, propõe.

Na educação, uma das inspirações do postulante ao governo paulista é o projeto Trilhas do Futuro, do governo Zema, voltado à capacitação e aperfeiçoamento profissional. “É preciso oferecer ensino técnico e profissionalizante com a ajuda do setor privado, com parceria da ACSP, da Fiesp, do Instituto Ayrton Senna, porque o Estado não consegue fazer tudo.”

No trato com o Legislativo, Poit disse ter aprendido com as dificuldades do governador mineiro, que viu seus projetos emperrarem por falta de apoio na assembleia. “Vejo o que aconteceu no governo de Minas, que teve um início difícil, e entendo que vou precisar dialogar mais, fazer alianças, para lidar com a Alesp [Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo].”

Mas quando se entra no campo tributário, de inspiração Zema passa a ser concorrente. Poit diz que pretende reduzir a carga tributária para as empresas para evitar que continuem migrando para outros Estados, em especial para o Sul de Minas, onde cidades como Extrema viraram uma espécie de paraíso tributário para empresas de São Paulo.

Nesse campo, o pré-candidato ao governo paulista diz que pretende revogar o decreto do ex-governador João Doria, que anulou desonerações do ICMS para vários produtos no início de 2021. À época, Doria tinha como justificativa o equilíbrio das contas públicas, em um momento de fragilidade da arrecadação por causa da pandemia.

A decisão foi criticada por diversos setores da economia, que questionaram o aumento do imposto em um momento em que as atividades econômicas estavam restritas.

“São Paulo tem R$ 286 bilhões no orçamento, não precisava ter taxado o paulista. Pretendo revogar o decreto que aumenta as alíquotas do ICMS. O correto é aumentar a base de arrecadação, para que as alíquotas possam ser menores”, disse Poit.

Ele afirmou ainda que pretende simplificar a vida de quem quer empreender, e se propõe a resgatar pontos vetados do chamado Código de Defesa do Contribuinte, como a liberação de alvará para atividades de baixo risco e a fiscalização orientadora.

Poit foi o terceiro candidato ao governo paulista sabatinado na ACSP. Antes dele, foram ouvidos o ex-governador Márcio França (PSB) e o ex-ministro da infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos). As sabatinas acontecem também com candidatos à presidência da República. Nesse caso, já participaram Luciano Bivar (União Brasil), Luiz Felipe D’Avila (Novo) e Simone Tebet (MDB). 

IMAGEM: Novo/divulgação

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas