PIB paulista deve crescer 1,5% em 2019

A estimativa é da Fundação Seade. Para 2018, a expectativa é que a economia do Estado de São Paulo cresça 2,3%

Redação DC
07/Jan/2019
  • btn-whatsapp
PIB paulista deve crescer 1,5% em 2019

O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de São Paulo calculado para 2018 pela Fundação Seade é de 2,3%. Esse patamar é superior ao projetado pelo Boletim Focus para a economia brasileira no mesmo período, 1,4%.

Para 2019, as projeções indicam que o PIB paulista deverá crescer 1,5%, segundo o cenário base.

Entre os setores de atividade, a Indústria deverá crescer 3,2% em 2018, destacando-se a indústria de transformação (4,5%). Para a agropecuária, é previsto um avanço de 2,3% e para o setor de serviços, 2,0%. 

A perspectiva de crescimento do setor do setor de serviços é explicada pelo bom desempenho da atividade comercial do varejo e atacado no Estado.

No acumulado dos últimos quatro trimestres, o Valor Adicionado (contribuição das diferentes atividades econômicas no PIB) elevou-se em 2,2% e os Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios registraram crescimento de 3,6%.

A atividade econômica do Estado cresceu 0,7% entre o 2º e o 3º trimestres de 2018, com taxas positivas em todos os setores: agropecuária (2,0%), indústria (0,2%) e serviços (1,0%).

Na comparação com o mesmo trimestre de 2017, o PIB do 3º trimestre de 2018 cresceu 1,0%, com retração na agropecuária (-1,1%) e na indústria (-0,5%), enquanto os serviços avançam 1,5%.

A economia retraiu-se em 0,5% entre setembro e outubro de 2018, na série livre de efeitos sazonais, com crescimento na agropecuária (0,8%) e decréscimos nos serviços (-0,2%) e na indústria (-1,1%).

Já no acumulado de 12 meses, o PIB paulista evolui 2,1%, com avanços em todos os setores: indústria (2,0%), serviços (2,0%) e agropecuária (0,9%).

REGIÕES

Entre as regiões metropolitanas, sobressaem os crescimentos das RMs de Sorocaba (6,2%), Vale do Paraíba e Litoral Norte (3,4%) e Campinas (2,9%). Já as Regiões Metropolitanas de São Paulo e da Baixada Santista devem crescer abaixo da média estadual (1,9% e 1,8%, respectivamente).

O Produto Interno Bruto do Estado de São Paulo do 3º trimestre de 2018 foi estimado em R$ 570,4 bilhões, sendo R$ 481,2 bilhões referentes ao Valor Adicionado e R$ 89,3 bilhões aos Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios. Em termos anualizados, correspondendo à soma dos últimos quatro trimestres, o PIB do Estado chegou a R$ 2,2 trilhões, com um Valor Adicionado de R$ 1,8 trilhão e R$ 346,0 bilhões referentes aos Impostos sobre Produtos Líquidos de Subsídios.

 

RECUPERAÇÃO SÓ EM 2020

A partir da última recessão sofrida pela economia paulista entre o 2o trimestre de 2014 e o 4o trimestre de 2016, caso se confirmem a previsão de 2,5% para 2018 e um crescimento médio trimestral de 0,7%, o PIB do Estado de São Paulo recuperará o nível pré-crise no 3°  trimestre de 2020.

E, considerando as projeções para 2019 (1,5%), esse mesmo patamar será atingido novamente apenas no 2° trimestre de 2021 (média trimestral de 0,6%).

 

IMAGEM: Thinkstock

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas