Copa do Mundo impulsionou receita de empresas

O evento impulsionou as atividades direta e indiretamente ligadas ao esporte, aumentando também a massa salarial e o número de pessoas ocupadas no setor de serviços

Agência Brasil
21/Set/2016
  • btn-whatsapp
Copa do Mundo impulsionou receita de empresas

A Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil e vencida pela Alemanha, impulsionou as atividades direta e indiretamente ligadas ao esporte no ano de sua realização, aumentando a receita operacional líquida, a massa salarial e o número de pessoal ocupado no setor de serviços no país.

A constatação é da Pesquisa Anual de Serviços (PAS) 2014, divulgada hoje (21/09) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A publicação constata que a receita bruta das empresas dedicadas às atividades culturais, recreativas e desportivas mostrou a maior variação real anual, entre todas as atividades do setor de serviços, principalmente nas regiões Nordeste, onde o crescimento chegou a 37,8%; Sul (20,2%); e Norte (18%).

A Pesquisa Anual de Serviços analisa a estrutura produtiva do setor de serviços não financeiros no país.

Entre os principais destaques da publicação, há a constatação de que, em 2014, o país tinha cerca de 1,3 milhão de empresas de serviços não financeiros, que totalizaram R$ 1,4 trilhão em receita operacional líquida e R$ 842,1 bilhões em valor adicionado.

Essas empresas ocuparam 13 milhões de pessoas e pagaram R$ 289,7 bilhões em remunerações.

A produtividade (divisão do valor adicionado pelo total de ocupados) média dessas empresas chegou a R$ 64,01 milhão

Os dados indicam também que as empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas, mesmo reunindo apenas 5,4% do total das companhias de serviços, geraram 76,1% da receita operacional líquida do setor (R$ 1,1 trilhão).

As empresas deste segmento também foram responsáveis por 70,6% do valor adicionado (R$ 594,4 bilhões), 78,9% dos salários retirados e outras remunerações (R$ 228,6 bilhões) e 65,2% do pessoal ocupado (8,5 milhões de pessoas) do setor.

CRESCIMENTO DA RECEITA

Entre 2013 e 2014, a receita do setor de serviços teve crescimento real de 6,5%, em termos reais, isto é, já descontados os efeitos da inflação, enquanto a massa salarial expandiu 8% e o número de pessoas ocupadas, 4,5%.

A maior contribuição para este crescimento de 6,5% da receita do setor foi dado pelo setor de transportes, serviços auxiliares aos transportes e Correio, com expansão de 10,7% no período.

SERVIÇOS PROFISSIONAIS

O segmento que deu a maior contribuição para o crescimento de 8% na massa salarial foi o de serviços profissionais, administrativos e complementares, que, ao crescer 7,6%, contribuiu com 2,8 pontos percentuais para a expansão da massa.

Ainda sobre a expansão de 8% da massa salarial, as três atividades que mais contribuíram para esta variação (todas com 1,1 ponto percentual) foram serviços de alimentação (impactados pelo aumento de contratações para a Copa); tecnologia de informação (pela entrada de novas empresas no mercado); e transporte rodoviário de cargas (com a safra recorde de grãos em 2014).

A pesquisa constatou que - em relação a 2013 - oito das 35 subdivisões dos serviços mostraram queda no número de pessoas ocupadas em 2014, com destaque para telecomunicações (-8%), agências de viagem, operadores turísticos e outros serviços de turismo (-7,5%) e manutenção e reparação de objetos pessoais e domésticos (-6,6%).

O levantamento do IBGE confirmou que, em 2014, a região Sudeste continuou predominando nas atividades de serviços, respondendo pelas maiores parcelas da receita bruta, de R$ 1 trilhão (64,9%), das remunerações que totalizaram R$ 188,9 bilhões (65,2%), e do pessoal ocupado: 7,6 milhões de pessoas (58,4%).

FOTO: Fernando Frazão/ Agência Brasil 

 

 

 

 

 

 

Indicadores Econômicos

Fator de Reajuste

ÍNDICE
Mai
Jun
Jul
IGP-M
1,1072
1,1070
1,1008
IGP-DI
1,1056
1,1112
1,0913
IPCA
1,1173
1,1189
1,1007
IPC-Fipe
1,1227
1,1169
1,1073

Indicadores de crédito Boa Vista

Índice
Abr
Mai
Jun
Demanda por crédito
-4,3%
-2,1%
-1,9%
Pedidos de falência
--
--
--
Movimento do comércio
1,1%
1,5%
-0,8%
Inadimplência do consumidor
5,0%
7,5%
-0,6%
Recuperação de crédito
1,8%
-5,6%
2,4%
mais índices

Vídeos

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Tarcísio de Freitas participa de ciclo de debates promovido pela ACSP

Felipe d’Avila, do Novo, foi sabatinado por empresários na ACSP

Márcio França fala em fim da ‘tiriricação’ da política

Colunistas