Economia

Crescimento global continua mais fraco do que o desejado


Comunicado final da reunião do G-20, realizada na China, mostra que riscos globais persistem


  Por Estadão Conteúdo 05 de Setembro de 2016 às 16:35

  | Agência de notícias do jornal O Estado de S.Paulo


As 20 maiores economias do mundo repetiram a avaliação de que a economia global cresce, mas em ritmo mais fraco do que o desejado. 

Comunicado final da reunião realizada na China repete os riscos já mencionados pelo presidente chinês, Xi Jinping, como volatilidade financeira, flutuação do preço das commodities e fraqueza no comércio exterior. 

O grupo repetiu a avaliação de que a política monetária não pode fazer todo o trabalho para a retomada do crescimento equilibrado.

"O crescimento continua mais fraco que o desejado. Riscos permanecem diante do potencial de volatilidade dos mercados financeiros, flutuações do preço das commodities, fraqueza no comércio e investimento, e lenta produtividade e crescimento do emprego em alguns países", cita o comunicado divulgado pela União Europeia. 

Até 1h40 da madrugada da terça-feira na China (14h40 em Brasília), o texto final não havia sido divulgado na página oficial do G-20 na internet, nem distribuído aos jornalistas.

Além dos riscos globais, o G-20 reconhece que há desafios "nos desenvolvimentos geopolíticos, aumento do fluxo de refugiados assim como terrorismo e conflitos que também complicam a perspectiva econômica global".

Diante dessa avaliação, o grupo das 20 maiores economias do mundo diz que "a política monetária não pode liderar sozinha o crescimento equilibrado" da economia. 

Por isso, o grupo reforça a importância das reformas estruturais e insta líderes a executar ajustes para reduzir os desequilíbrios.

FOTO: Thinkstock