Por João Eloi Olenike

  | presidente-executivo do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT)