Vida e Estilo

Prada renuncia ao uso de pele de animais


Grife italiana informa que materiais alternativos permitirão à empresa explorar novas fronteiras da criatividade


  Por Ansa 24 de Maio de 2019 às 10:57

  | Informações fornecidas pela Agência Italiana de Notícias


A grife italiana Prada anunciou que não usará mais peles de animais em suas coleções, se juntando a marcas como Giorgio Armani, Gucci, Burberry, Versace, Michael Kors e Ralph Lauren.

A medida valerá a partir da coleção feminina primavera/verão 2020 e foi anunciada com a Fur Free Alliance (FFA), entidade que luta pelo fim do uso de peles de animais na indústria da moda.

"A pesquisa e o desenvolvimento de materiais alternativos permitirão à empresa explorar novas fronteiras da criatividade e responder, ao mesmo tempo, à demanda por produtos mais responsáveis", disse a estilista Miuccia Prada.

Ela já havia dito em setembro do ano passado que não queria mais usar peles de animais nas coleções da grife e vinha diminuindo a presença desse material em seus produtos. As peças já fabricadas continuarão nas lojas até o fim dos estoques.

Em abril de 2016, a ONG Peta, de defesa de animais, chegou a comprar ações da Prada para participar de assembleias de sócios e protestar contra o uso de couro de filhotes de avestruz em bolsas.