Vida e Estilo

Até 2022, número de milionários no Brasil deve crescer 81%


Estudo do Credit Suisse mostra que apesar da recessão, o país alcançará a marca de 296 mil milionários nos próximos cinco anos


  Por Estadão Conteúdo 14 de Novembro de 2017 às 12:57

  | Agência de notícias do Grupo Estado


A despeito dos últimos anos de recessão, o número de milionários no Brasil deverá saltar 81% em cinco anos e alcançar 296 mil pessoas em 2022.

Estudo do Credit Suisse mostra que na América Latina o País que registrará um maior crescimento no número de milionários será a Argentina, que chegará em 68 mil daqui a cinco anos, ante 30 mil em 2017.

Os Estados Unidos lideram a lista, com 15,3 milhões de milionários, volume que deve crescer 16% no mesmo intervalo.

Considerando o mesmo período, a oitava edição do Global Wealth Report produzido pelo banco suíço mostra que em cinco anos o mundo terá 719 bilionários a mais, indo para próximo de três mil.

Desse total, 230 serão da América do Norte e 205 da China. Outros 235 bilionários terão origem a Europa e 33 serão russos.

O estudo aponta uma mudança na origem dos milionários, que antes eram mais concentrados nos países mais maduros. Outra questão que mostra a pesquisa é a distribuição de renda.

Segundo o documento, 3,5 bilhões de adultos tem riqueza abaixo de US$ 10 mil, ou 2,7% da riqueza global. Por outro lado, 36 milhões de milionários, que correspondem a 1% da população adulta global, possui 46% da riqueza.

O documento mostra ainda que a riqueza global nos 12 meses até a metade deste ano cresceu 6,4% para US$ 280 trilhões.

No período, o mundo viu ainda um aumento de 2,3 milhões de milionários. Por outro lado, o estudo aponta que alguns países perderam milionários nesse período, especialmente por conta de depreciação cambial, caso do Reino Unido e Japão.

FOTO: Thinkstock