Vida e Estilo

Adeus ao refrigerante, à carne vermelha e ao açúcar


Cerca de 27% dos lares brasileiros têm feito mudanças na alimentação, aumentando o consumo de frutas, sucos, açúcar demerara e produtos zero lactose, segundo estudo da Kantar Wordpanel


  Por Redação DC 07 de Março de 2019 às 18:25

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Seguindo a tendência mundial por uma rotina mais saudável, o brasileiro está mudando seus hábitos alimentares dentro de casa. De acordo com dados levantados pela Kantar Worldpanel, 27% dos lares declaram ter feito mudanças na alimentação, aumentando o consumo de frutas, sucos naturais e diminuindo o consumo de carne vermelha, açúcar e refrigerante, por exemplo.

Em linha com essa tendência, o estudo revela que 389 mil domicílios deixaram de comprar açúcar refinado no ano passado. Presente em 51,8% dos lares, o produto teve queda de 0,4% em volume e 19% em valor na comparação com 2017.

LEIA MAIS:É quase um fast food. Mas só de comida saudável

Por outro lado, a versão demerara, menos refinada e sem aditivo químico, saltou de 6,9% para 10,6% de penetração no mesmo período, ou seja, ganhou mais de 2 milhões de domicílios compradores em 2018. Volume e valor também se destacaram positivamente, com alta de, respectivamente, 50,4% e 44,8%.  

Ainda com forte presença no país, as carnes também foram impactadas pelos novos comportamentos dos consumidores. Todas – bovina, frango e suína – apresentaram queda de volume em 2018 na comparação com o ano anterior. No entanto, dos lares que declaram ter feito mudanças nos hábitos alimentares, 50% deles dizem ter diminuído o consumo das carnes vermelhas.

Entrando na casa de 97% da população, os refrigerantes também viram o número de compradores cair de 2017 para 2018: 222 mil domicílios deixaram de colocar a bebida na despensa. O mesmo ocorreu com o leite UHT, que perdeu 611 mil lares no período.

Por outro lado, produtos zero lactose começam a ganhar força. De acordo com a pesquisa, 20% das famílias já compraram algum produto zero lactose. A categoria de leites sem lactose, por exemplo, cresceu 7,9% em volume e 12,6% em valor.

“Já faz algum tempo que a saudabilidade tem sido um fator importante na hora das compras não só no Brasil, mas em todo o mundo. Agora, o movimento ganha mais força. A entrada de produtos como o açúcar demerara e zero lactose na lista de compras revela um consumidor mais atento e alinhado às preocupações globais com a saúde”, afirma Giovanna Fischer, diretora de marketing e consumer insights da Kantar Worldpanel.

FOTO: Thinkstock