Tecnologia

Startup de educação digital capacita profissionais de varejo


Em tempos de disrupção, plataforma que tem Eduardo Terra, da SBVC (foto), como um dos sócios, oferece treinamento 100% online e mobile para disseminar essa cultura nas empresas


  Por Karina Lignelli 14 de Novembro de 2018 às 11:40

  | Repórter lignelli@dcomercio.com.br


Para atender a um consumidor cada vez mais exigente e conectado e adequar o varejo à nova era de transformação digital, que inclui internet das coisas, inteligência artificial, blockchain e realidade aumentada, entre outras inovações, é preciso capacitar os profissionais da área.

Promover o desenvolvimento de pessoas no varejo é o foco da Évolus, plataforma de educação digital 100% online e mobile lançada nesta terça-feira (13/11) em sua sede, que fica no espaço de coworking WeWork, na Zona Sul da capital paulista. 

Sendo o mobile protagonista nas decisões de negócio, a transformação digital impacta o modo de vender produtos e serviços e de se relacionar com clientes, diz Eduardo Terra, presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) e um dos fundadores da startup.

“Tudo já é digital nas empresas, menos as pessoas e os processos”, afirma. “Nada mais natural que essa mudança também aconteça na forma como capacitamos nossos colaboradores.”

Como a educação para o setor não costuma chegar na ponta, no máximo em nível gerencial, ou com formação técnica, em nível operacional, a startup de ensino à distância foi desenvolvida para qualificar colaboradores e parceiros dentro dessa nova cultura, diz Terra.

“É uma proposta de inclusão, de mostrar qual o papel dessas pessoas no processo de transformação digital do varejo”, completa.

 

Através do exemplo de grandes empresas nativas digitais e disruptivas, como Facebook, Apple, Google e Amazon, que inspiraram a criação da startup, Terra afirma que a Évolus tenta traduzir o que é cultura digital na prática. 

Atributos como "seja ousado", "seja simples, não complexo" e "consumidor no centro", é que fazem a grande diferença nessa mudança de cultura das empresas, acredita. 

LEIA MAIS: O consumidor já é digital. Sua loja está preparada?

"São valores que eu entendo que ajudam a gente a olhar para o indivíduo, seja no processo de seleção, na avaliação de desenvolvimento ou em seu desenvolvimento para entender se estamos falando de alguém com cultura digital ou não", afirma. 

Para Andrea Dietrich, especialista em marketing digital que também é sócia-fundadora da Évolus, se antes o grande diferencial era a performance operacional de um varejista, hoje o que conta é a experiência que você oferece para o cliente.

Esse novo modelo de trabalho de uma nova economia se baseia na mudança de mindset, que implica em outras formas de atrair, remunerar e gerir esse profissional no dia a dia do varejo.  

LEIA MAIS: Ele mudou o jeito de pensar do Magazine Luiza

Por isso, segundo Andrea, a startup vai além das facilidades tecnológicas, para disseminar a cultura digital a partir do RH das empresas, já que os treinamentos online serão ferramentas eficientes de capacitação, que ajudam também na atração e retenção de talentos. 

"Num mundo cada vez mais digital, mais comparável, mais acessível, o que lhe diferencia dos outros competidores é o foco", afirma. "Não é ser 10% melhor; é ser 10 vezes melhor."

CUSTOMIZAÇÃO E DISRUPÇÃO

Criada para clientes B2B, a startup trabalha com um catálogo de cursos prontos, mas que podem ser customizados para empresas – como a Associação Brasileira de Franchising (ABF), por exemplo, cuja plataforma ABF Educação On the Go é gerenciada pela Évolus.

Os cursos, desenvolvidos por profissionais de varejo e especialistas em design instrucional, capacitam em temas diversos, que vão desde básico de padaria no varejo, passando por prevenção de perdas e rentabilização do ponto de venda, até como contratar a pessoa certa para sua loja, entre outros.

Além dos cursos individuais e a preços acessíveis, a startup também oferece a modalidade por assinatura para ter acesso ao conteúdo, assim como outro modelo bastante popular e consolidado, porém disruptivo, como a Netflix.

Para mais informações, acesse o site da Évolus. 

FOTO: Karina Lignelli/DC