Tecnologia

As operadoras de celular estão preparadas para a expansão do 4G?


Empresa inglesa OpenSignal diz que a velocidade da internet em smartphones brasileiros está acima da média mundial, mas que ainda faltam avanços na disponibilidade e cobertura


  Por Thais Ferreira 20 de Agosto de 2015 às 12:15

  | Repórter tferreira@dcomercio.com.br


Cada vez mais as pessoas passam horas conectadas na internet por meio de celulares.De acordo com um estudo da Telefônica, 78% dos brasileiros entre 18 e 30 anos disseram possuir um smartphone em 2014. Eram 63% na mesma pesquisa realizada em 2013.

A tendência é que essa porcentagem continue aumentando nos próximos anos. A popularização dos smartphones não está apenas nos números, está também nas ruas. São visíveis as pessoas  cada vez concentradas nas pequenas telinhas, enquanto estão nos ônibus e metrôs das grandes cidades.

A maioria dos usuários utiliza os aparelhos para conversar com os amigos, ler notícias, interagir nas redes sociais, consultar e-mails e fazer compras online.

De olho nessa tendência, empresas estão modificando seus sites para a versão mobile. Até mesmo a busca do Google está privilegiando os sites adaptados em pesquisas realizadas pelos celulares. 

Mas para que o alcance seja ainda maior, principalmente para o comércio eletrônico, existem algumas barreiras que devem ser ultrapassadas. A primeira delas está na infraestrutura necessária para que os celulares deixem de depender das redes wi-fi e tenham uma conexão de qualidade utilizando a tecnologia 4G.

O TESTE DAS OPERADORAS

A OpenSignal, empresa inglesa que monitora qualidade das redes móveis,  fez uma pesquisa para testar a eficiência das operadoras brasileiras, usando dados de mais de 80 mil usuários entre maio e julho deste ano.

O estudo parte da situação encontrada no país durante a Copa do Mundo de 2014 – em que a cobertura 4G ainda era incipiente. Durante o mês da competição, as reclamações sobre a qualidade dos serviços das operadoras foram frequentes.  

O relatório final apontou que nenhuma das quatro grandes operadoras brasileiras (Oi, Tim, Vivo e Claro) consegue manter a conexão 4G por mais de 50% do tempo. Outro problema apontado foi que durante 3% do tempo não há sinal disponível. 

A operadora Claro foi citada como a  que possui a maior velocidade de download, tanto no 3G quanto no 4G. Nesse quesito, todas as empresas avaliadas mostraram bons resultados – a velocidade do 4G no Brasil é maior que a média mundial. 

Mas essa rapidez tem um motivo: o número baixo de usuários brasileiros permite que as empresas aumentem a velocidade. O desafio será garantir a mesma velocidade quando o 4G se popularizar.

E a próxima prova de fogo já tem data marcada: agosto de 2016, durante os Jogos Olímpicos do Rio, quando o Brasil poderá receber até 1 milhão estrangeiros. Será que até lá as operadoras estarão preparadas? 

*Foto: Thinkstock