Tecnologia

Apps de carona se popularizam ao baratear viagens


Usuários de aplicativos como Tripda, Ponga e BeepMe economizam pedágio e combustível em viagens compartilhadas de curta e longa distância


  Por Estadão Conteúdo 06 de Julho de 2015 às 09:15

  | Agência de notícias do Grupo Estado


Deseja viajar para algum lugar, mas não possui um meio de transporte ou dinheiro? Sites e aplicativos de carona colaborativa no celular estão se popularizando entre os brasileiros, muitos com dezenas de milhares de usuários.

O funcionamento, em geral, é muito simples: uma pessoa que vai a algum lugar com o carro próprio anuncia a viagem e espera que interessados se manifestem por meio das ferramentas.

Além de grandes distâncias, os aplicativos também vêm sendo utilizados para caronas dentro da própria cidade. Em geral, os passageiros contribuem com dinheiro para ajudar com combustível e pedágio.

Dentre os serviços, o Tripda é o que possui mais opções e diversidade para motoristas e usuários. Ao entrar na rede, a pessoa tem a possibilidade de oferecer caronas ou procurar ofertas de transporte. Na criação do perfil, o motorista pode selecionar a intensidade do nível de conversa que deseja ter com os passageiros, a música a ser escutada, a possibilidade de fumar dentro do automóvel ou de transportar animais.

O Tripda também possui uma opção chamada "Só Elas", que marca caronas só entre mulheres. Outros métodos de segurança do aplicativo incluem a possibilidade de ver informações e avaliações sobre o motorista, qual carro é usado e quantas vezes ele deu carona por meio da rede.

Segundo seus criadores, o Tripda já conta com mais de 60 mil usuários cadastrados apenas no Brasil, com apenas um ano de funcionamento por aqui. A coordenadora de marketing Daiane Rocha é usuária assídua do Tripda. Ela se vale do aplicativo tanto para dar carona para pessoas da faculdade ou para viagens mais longas. "Vou sempre para Florianópolis (SC). Avião sai por R$ 150 e ônibus fica uns R$ 120. A carona sai por R$ 80", calcula.

LEIA MAIS: Economia colaborativa muda ação de empreendedores

Apesar de ressaltar "o medo de mãe" ao viajar com estranhos, Daiane ressalta que as caronas colaborativas só tendem a crescer. "Os mochileiros estão cada vez mais conectados. E, principalmente, as pessoas estão confiando mais umas nas outras", finaliza.

No BeepMe a pessoa procura por rotas na ferramenta de buscas do site ou no celular. Logo em seguida, aparece um grupo com usuários que realizam a viagem frequentemente. Assim, a pessoa pode oferecer ou procurar caronas por meio de postagens dentro da rede de usuários com o mesmo interesse de destinos. Funciona como uma espécie de Facebook de caronas, onde pessoas interagem com comentários, curtidas e compartilhamentos.

O engenheiro agrônomo Paulo Márcio Dantas da Gama oferece frequentemente caronas na plataforma. Para ele, as vantagens do modelo são diversas. "Além de ajudar a dividir os custos, a gente ganha uma companhia para o percurso, o que deixa o trajeto mais atrativo e menos chato", conta.

Para ele, o sucesso das caronas colaborativas só tende a crescer. "As pessoas vão se interessar cada vez mais em dividir espaço nos carros devido às questões ligadas aos aspectos ambientais, principalmente", declara.

LEIA MAIS: 5 maus hábitos que acabam com o seu dinheiro

INTERAÇÃO

O aplicativo Ponga funciona com a mesma lógica de aplicativos de táxis, como 99Taxis ou Easy Taxi. A pessoa entra no app e visualiza um mapa com os usuários ao redor que oferecem carona para o destino desejado. A pessoa escolhe um e, a partir daí, basta solicitar a carona. A interação, então, ocorre praticamente em tempo real. Ainda é possível analisar as informações sobre o motorista, qual carro é usado ou avaliações de outros passageiros.

André Paraense, criador do aplicativo, conta que o funcionamento é diferenciado devido ao formato em que foi baseado. "Nos inspiramos nos aplicativos de carona americanos. Facilitamos um contato que seria impossível de acontecer por telefone, por exemplo", diz.

O aplicativo mantém uma parceria com a Faculdades de Campinas (Facamp), disponibilizando um grupo exclusivo para alunos, funcionários e colaboradores.

"Só nas últimas três semanas, que foi quando o Ponga foi implementado aqui, já ofereci várias caronas", conta Roberta Firmino, estudante de administração da faculdade.

O Carona Fácil é uma plataforma de carona colaborativa que se apoia no Facebook para funcionar. As pessoas publicam as ofertas ou desejos de carona - tanto na plataforma, quanto na própria timeline do Facebook - e esperam contato de interessados pela rede social. Ao contrário das outras plataformas, o Carona Fácil não mostra detalhes da viagem, como o preço ou avaliações de caronas anteriores do motorista.

Segundo Pedro Nascimento, um dos fundadores do site, o Carona Fácil é apenas um intermediário entre o motorista e o passageiro. "O site surgiu quando resolvemos criar uma ferramenta que facilitasse a carona em vários grupos do Facebook ao mesmo tempo", conta. "Só que acabamos transformando aquilo em uma plataforma aberta."

O mais interessante é que quase não há divulgação da plataforma. Na página do Facebook, a última publicação foi em setembro de 2014. "O Carona Fácil está se sustentando e crescendo sem a nossa ajuda", revela Nascimento.

Por ser apenas um intermediário entre o motorista e o passageiro, o criador não vê necessidade de ferramentas de segurança no sistema. "As pessoas pegam carona com quem e como querem", diz. "Nosso processo é bem simples e o resto fica a cargo do usuário."

Os aplicativos de carona se apresentam como um filão promissor da economia colaborativa. "A tecnologia tornou fácil e barato conectar pessoas e coisas", disse Lisa Gansky, autora de um livro sobre economia compartilhada e do site Mesh.

*Foto: Thinkstock