Tecnologia

Aplicativos não são apenas para jovens


Pesquisa realizada pelo o Yahoo mostra que usuários com mais de 35 e 55 anos já tem alto engajamento com os apps


  Por Thais Ferreira 30 de Março de 2016 às 17:35

  | Repórter tferreira@dcomercio.com.br


A atenção dos consumidores está fragmentada. Rádio, televisão, desktop, smartphone e tablet se revezam no foco dos usuários. O que parecia apenas ser um comportamento da geração Y está se popularizando para outras faixas etárias.

Com tantas opções, está cada vez mais difícil entender onde está o público-alvo e qual a melhor estratégia para cativá-lo. Para entender essa relação entre tecnologias e usuários, o Yahoo divulgou uma pesquisa que procura mapear onde está o foco dos brasileiros e quais são tendências para o mobile.

Os dados utilizados foram extraídos do Flurry, umas das principais plataformas de análise de dados do mobile e que foi adquirida pela Yahoo em 2014.

A ferramenta – instalada em mais 800 mil aplicativos – tem a capacidade de mapear mais de 10 bilhões de sessões de uso de apps por mês. Com tantos números, a empresa é capaz de identificar os principais comportamentos dos usuários.  

De acordo com o estudo, 88% do tempo dos usuários de smartphones é gasto com apps – os navegadores da internet, como Safari e Google Chrome, ficam em segundo plano.  

Com relação aos outros meios de comunicação, a penetração dos smartphones está crescendo foi de 56% em 2015 e deve alcançar 69% em nos próximos três anos.  

PERFIL

Entre as categorias de aplicativos com mais horas de uso no Brasil estão os de utilidades e produtividade, seguidos pelos de esportes e os de mensagens e de redes sociais (não estão contabilizados nessa pesquisa apps bastante populares, como Facebook e WhatsApp, que não utilizam a plataforma Flurry).

Em comparação com a média mundial, o grande diferencial é o tempo gasto com os apps esportivos. Os estrangeiros permanecem apenas 1% do tempo em aplicativos sobre esse tema, já os brasileiros 19%.

Entre as faixas etárias, a pesquisa percebeu que engajamento dos aplicativos não é exclusivo de adolescente e jovens, pessoas com mais de 35 e 55 anos representam uma parte significativa dos usuários. Eles representam o maior público nos aplicativos de jogos e notícias.

O horário em que os aplicativos são mais utilizados coincide com o horário nobre da televisão, das 19h às 22h. É nesse período também em que diferentes dispositivos, como televisores e tablets, são usados simultaneamente.

Os aplicativos de esporte, saúde e boa forma e os de utilidades e produtividade são que tem maior tendência de crescimentos nos próximos anos.  

Christina Choy, gerente de pesquisa de mercado do Yahoo nos Estados Unidos, acredita que a era do mobile já começou nos Estados Unidos.

O mesmo não acontece em solo brasileiro. Parte significativa das empresas ainda não tem sites adaptados para o formato mobile e nem sempre é possível realizar todas as operações mais complexas utilizando smartphones.  

Clique e veja o infográfico

Foto:Thinkstock