Sustentabilidade

Micro e pequenas registram 85% das falências até julho


Os dados são da Boa Vista SCPC, baseados em 1.055 empresas que fecharam as portas em todo o país. Crise econômica justifica maior vulnerabilidade das PMEs.


  Por Redação DC 22 de Agosto de 2015 às 21:05

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Entre as falências registradas no primeiro semestre de 2015, cerca de 85% tiveram como vítimas as micro e pequenas empresas.

A informação é da  Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), em levantamento nacional que analisou os 1.055 pedidos de falência contabilizados.

Segundo a entidade, que entregou as informações com exclusividade para a Rede CBN de Rádio, nos últimos 12 meses as falências representam um aumento de 39,6% sobre o mesmo período entre 2013 e 2014.

Esse crescimento é atribuído aos efeitos diretos da recessão econômica, que se desdobram em queda do consumo, juros elevados e inadimplência dos consumidores.

Também segundo a Boa Vista, o setor de serviços representou entre janeiro e julho 42% dos pedidos de falência. A vulnerabilidade maior dos prestadores de serviços é justificada pelo fato de ele ser o primeiro a ser atingido quando empresas maiores procuram reduzir seus custos para sobreviver no mercado.

Dados do Sebrae indicam que no primeiro semestre deste ano o faturamento das micro e pequenas empresas no Estado de São Paulo, que foi de 275 bilhões, registra queda de 30% em relação ao mesmo período de 2014.

.