Sustentabilidade

Distribuidora de energia troca 'gatos' por crédito em tarifas


A carioca Ampla mantém projetos para desestimular ligações clandestinas e oferece crédito em tarifas por resíduos recicláveis, além de ajudar clientes a comprar eletrodomésticos eficientes


  Por Italo Rufino 04 de Novembro de 2015 às 10:00

  | Repórter isrufino@dcomercio.com.br


A pedagoga Mirtes Pereira, de 59 anos, passa parte do seu dia monitorando as lixeiras do condomínio onde vive, em Niterói, no Rio de Janeiro. Ela possui até planilhas e gráficos que mostram a quantidade de papel, plástico e metais que são descartados pelos quase 200 moradores do prédio. 

O apreço de Mirtes por resíduos teve início em 2009, quando ela começou a participar do programa Ecoampla, da Ampla, distribuidora de energia elétrica que atua em 66 minicípios do Rio de Janeiro, em que clientes podem trocar resíduos recicláveis por créditos na conta de luz. 

Em 2012, Mirtes se tornou síndica e implantou as práticas em todo o condomínio. “Já reciclamos cerca de 20 toneladas de resíduos”, afirma Mirtes. “O montante resultou em mais de R$ 4 mil em descontos nas tarifas.”

Diariamente, os moradores fazem o descarte seletivo do lixo e o armazena em containers. Uma vez por semana, os resíduos são levados para postos de coleta da Ampla – são 16 postos fixos e 10 móveis espalhados por 13 cidades cariocas. 

Os resíduos são pesados e precificados de acordo com o tipo de material. O valor do quilo da latinha de alumínio, por exemplo, vale em média R$ 1,89. O material é então encaminhado para recicladoras e o valor se torna crédito na fatura do cliente.

Atualmente, 37 mil clientes participam do Ecoampla. Já foram reciclados 637 toneladas de resíduos, convertidos em R$ 970 mil em descontos.

LEIA TAMBÉM: [DIGESTO ECÔNOMICO] Nova luz para as trapalhadas da energia

MIRTES, CLIENTE DA AMPLA: MATERIAL RECICLÁVEL GARANTE DESCONTO NA TARIFA/Divulgação

O Ecoampla faz parte de um conjunto de programas da empresa que têm como objetivo conscientizar os clientes sobre problemas comuns que afetam as distribuidoras de energia nas grandes cidades, como consumo exagerado, inadimplência e furtos – os famosos “gatos”.

Há 10 meses, a Ampla criou uma área dedicada exclusivamente à sustentabilidade, que tem como uma das missões reunir projetos de desenvolvimento social, econômico e ambiental. 

Os projetos são divididos em dois eixos: geração de renda e consumo consciente de energia

“Os clientes são orientados a como fazer o bom uso de energia elétrica e que desperdícios afetam toda a sociedade, causando escassez de recursos e aumento nas tarifas”, afirma Marcia Massotti, diretora de sustentabilidade da Ampla.

Nas palavras da executiva, os gastos em sustentabilidade não são vistos como custos, mas sim investimentos. “As empresas também devem olhar para as comunidades em que atuam”, diz ela. “Se preocupar apenas com os lucros do presente poderá causar grandes custos no futuro.”

Conheça outros programas de sustentabilidade da Ampla: 

MENOS "GATOS" E MAIS BENEFÍCIOS 

Projeto ainda em fase piloto, o Conexão Social é realizado em parceria com a ONG Vida Rio e teve início em janeiro de 2014, no bairro Reta Velha, no município de Itaboraí. 

Na época, a região possuía um índice de 80% de furto de energia – grande parte da população era consumidores informais. 

A empresa passou a aplicar questionários com os moradores para entender quais eram as suas dificuldades e demandas para legalizar a conexão de energia. 

Os gestores da Ampla descobriram que o consumo na região era muito elevado, pois muitos moradores, por não ter o hábito de pagar a conta e sentir o peso da tarifa no bolso, desperdiçavam energia inconscientemente.

Outra constatação foi que sistemas de bombeamento de água usados em algumas residências, que não possuíam acesso à rede de esgoto, inflavam o consumo. 

A empresa, então, criou ações para diminuir os danos. Em algumas residências, foram instalados sistemas de bombeamento de água por energia solar.

A Ampla passou a oferecer oficinas sobre consumo consciente de energia. Junto a Viva Rio, a empresa também promoveu cursos formais de ensino fundamental e médio para jovens.

Outra medida foi a capacitação de mulheres em cursos profissionalizantes para complemento de renda, como de artesanato e corte e costura.

Quase dois anos após o início do programa, o índice de furto de energia na região caiu 60 pontos percentuais – atualmente está em 20%. Devido o bom resultado, a empresa passou a dividir os ganhos com os moradores, que têm descontos nas tarifas.

Até o final do ano, a empresa também vai implantar uma rede de internet wi-fi gratuita na região. 

“Não adianta apenas fazer uma conexão com o cliente”, afirma Marcia. “Temos que nos certificar de que ele terá condições de pagar a conta e que será inserido na sociedade como um consumidor legal.”

MARCIA, DIRETORA DE SUSTENTABILIDADE DA AMPLA: EMPRESAS DEVEM OLHAR PARA AS COMUNIDADES/Divulgação FNQ

ELETRODOMÉSTICOS MAIS EFICIENTES 

Batizado de Luz Solidária, o programa estimula os clientes por meio de subsídios a trocar eletrodomésticos antigos por modelos que consomem menos energia. 

Ativo desde o início do ano no Rio de Janeiro, o programa já beneficiou 2 200 clientes em 19 cidades. 

Para participar do Luz Solidária, o cliente precisa estar com as contas em dia e permitir a visita de um técnico para analisar o equipamento antigo.

Também é necessário realizar uma doação no valor de 16% do bônus adquirido na compra do novo eletrodoméstico para um dos 11 projetos sociais que a Ampla apoia, como a Casa do Artesão Alcimar Simões Bomgosto, associação sem fins lucrativos que capacita artesões para confecção de lingeries e moda praia. 

Após ser aprovado, o cliente ganha um subsídio de até 50% para comprar geladeira, freezer ou ar-condicionado em uma das 23 lojas da rede Novolare. Um refrigerador duas portas (modelo e marca definido pelo projeto) pode ser comprado de R$ 1.899 por R$ 1.101. 

“Destinamos cerca de R$ 2 milhões à loja para pagar os descontos concedidos aos clientes”, afirma Marcia. 

É qual o retorno de tamanho investimento para a empresa? A executiva responde:

“Os aparelhos novos e eficientes, com selo A do Procel, podem garantir economia de até 80% na conta de energia”, diz ela. “Dessa forma, o cliente passa a ter uma tarifa que cabe no seu bolso, o que é positivo para ele e para a companhia.”

SAIBA MAIS: Plano não garante redução expressiva na conta de luz em 2015

AÇÕES RENDERAM PRÊMIO DA FUNDAÇÃO NACIONAL DA QUALIDADE

No dia 20 de outubro, Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) realizou a 24ª edição do Prêmio Nacional da Qualidade, que reconhece as empresas que fomentam boas práticas de gestão. 

A Ampla foi premiado no critério Sustentabilidade. No mesmo evento, outras empresas foram premiadas, entre elas a Volvo Caminhões, Embraer e Senac-RS. 

AES ELETROPAULO

Por meio do programa Transformando Consumidores em Clientes, a AES Eletropaulo também atua em regiões de baixa renda para disseminar o uso seguro e eficiente da eletricidade e melhorar as condições do fornecimento de energia. 

Em vigor desde 2004, o programa já beneficiou 2,68 milhões de clientes, com regularização de ligações clandestinas e reformas de instalações elétricas internas das residências, como substituição de interruptores, tomadas e caixa de distribuição.

O programa também ajuda os consumidores a adquirir geladeiras e lâmpadas mais eficientes. Em 2014, foram substituidas mais de 534 mil lâmpadas e 13 mil geladeiras.

Clientes que participam do Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) podem ter descontos na tarifa. 

Outra medida da empresa é o Programa Recicle Mais, Pague Menos, que oferece desconto na conta de energia de acordo com a quantidade de materiais recicláveis que os clientes entregam em pontos de coleta da empresa. 

INSTALAÇÕES IRREGULARES IDENTIFICADAS PELA ELETROPAULO/Estadão Conteúdo