Publicidade

Em expansão, setor de revendas é alternativa para renda extra


Confira dicas que podem ajudar àqueles que têm interesse em entrar nesse mercado


  Por Redação DC 15 de Dezembro de 2020 às 15:00

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Mais digital, modernizada e disponível em diferentes universos de consumo, a prática de revenda, ou venda direta, foi um dos poucos setores que registraram crescimento no primeiro semestre de 2020.

O isolamento social, o acesso às soluções tecnológicas que favorecem as vendas on-line e a alta no número de pessoas em busca recolocação profissional impactaram um tipo de comércio considerado especializado em beleza até poucos anos.

Levantamento realizado pela Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD), entidade que reúne as empresas do setor, mostra que o segmento registrou em julho um aumento de 38,9% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Na comparação entre julho deste ano com o ano anterior, o número de revendedores teve um salto de 21%, segundo a ABEVD. 

A estimativa é que mais de quatro milhões de brasileiros atuam no setor de vendas diretas como empreendedores independentes, termo oficial para a classe de revendedores e representantes.

Acompanhando as tendências de consumo, a prática de revenda também ganhou o nome de social selling e pode ocorrer on-line - uma vez que as relações estão cada vez mais digitais.

Dados da ABEVD também apontam outra facilidade acelerada pela pandemia - o uso de whatsapp e mídias sociais. As vendas diretas tiveram engajamento de 20,6% na internet, 18% no whatsapp e 14,9% nas mídias sociais, ou seja, mais de 50% das vendas realizadas pelos empreendedores independentes ocorrem em meio digital.

Atual ferramenta de comunicação mais utilizada pelos brasileiros, o whatsapp ajuda a disponibilizar informações sobre produtos ou serviços, a individualizar o atendimento e atua como canal de vendas.

Veja algumas dicas para atuar no segmento de revenda:

Atualize seu jeito de vender: Cursos e treinamentos são importantes para se assimilar novos conhecimentos, entender melhor os produtos que oferece, assim como seus benefícios. Invista no aperfeiçoamento da sua habilidade de vender, dialogar e argumentar com o cliente. Novas abordagens, técnicas e recursos facilitam a negociação. Nunca pare de aprender.

Defina objetivos: Ter objetivos e estratégias é importante para apontar o caminho que deseja percorrer até alcançá-los. Faça anotações, planilhas e defina metas possíveis e reais para não desanimar. Há períodos do ano em que o consumidor está menos disposto a comprar, e fazer um detalhamento desse comportamento irá ajudá-lo no planejamento do próximo ano.

Destaque seus diferenciais: Diferente de outros formatos, a venda direta tem algumas peculiaridades que fazem a diferença num momento de decisão de compra. Já citada pelos especialistas há um tempo e consolidada pela recente crise, uma das principais tendências de varejo é a busca dos consumidores por produtos que possam ser entregues no mesmo dia - algo totalmente possível na modalidade de revenda. A vantagem de ser uma ‘loja’ que vai até o cliente está nos diferenciais, como comodidade, descontos, brindes e promoções – especialmente quando o cenário é de crise.

Atenção na escolha do produto: Quando chegar a hora de definir com que tipo de produto irá trabalhar, pense em itens necessários e baratos para revender, como pijamas e lingeries. Prefira itens que possam ser comprados direto da fábrica e no atacado, como bijuterias, cosméticos, roupas e peças automotivas. Alguns negócios permitem também a revenda em consignação – para quem precisa de maior segurança financeira, pois a empresa ficará responsável pelas mercadorias. O custo para o revendedor é baixo ou zero e permite que o que não for vendido seja devolvido. Já a importação de produtos traz lucros mais elevados devido a menor concorrência. O maior cuidado nessa modalidade é com o processo de importação e a burocracia que a prática implica.

Use e amplie sua rede de contatos: Assim como em qualquer tipo de comércio, conquistar novos clientes na venda direta não é tarefa fácil. Ao mesmo tempo, ampliar sua rede de relacionamento é fundamental para aumentar as vendas e, consequentemente, o reconhecimento do seu trabalho. Portanto, conheça bem seus clientes, entenda se e por que eles recomendariam seu trabalho. Tenha o hábito de manter contato e entender a motivação de cada compra para possivelmente, despertar novos gatilhos de consumo e também aumentar sua clientela. Promova encontros, reuniões ou qualquer tipo de evento que atraia o público que deseja - ofereça algum tipo de atração, drinques ou petiscos pois, isso aumenta o tempo de permanência e maior interação entre o público.

Revenda em marketplaces: - Antes de entrar em um marketplace, o ideal para o seu negócio é entender o nicho de mercado que aquele canal atende. Embora não seja necessário escolher apenas um marketplace, para quem está começando pode ser complicado fazer a gestão de muitos canais. Por essa razão, priorizar pode ser a melhor opção de início. No Mercado Livre, por exemplo, roupas e relógios estão entre os itens mais pesquisados. Além disso, alguns marketplaces vão exigir o cadastro com um CNPJ, outros vão solicitar uma lista de documentos - consulte as exigências que consegue atender. Dentro de um marketplace também é importante estar atento à logística de entrega ao receber um pedido. Na maioria dos casos, a separação e entrega do produto é sua responsabilidade. 

Através do programa de consultores da SumUp é possível revender maquininhas de cartão. Com apoio total da fintech, os consultores SumUp têm uma forte atuação em sua região, podem divulgar seu trabalho em redes sociais como YouTube e Facebook e até montar sua própria loja física.

De baixo investimento inicial, a perspectiva de quem entra para o time SumUp é recuperar o valor investido em dobro logo de entrada. É possível faturar a partir de R$ 1,5 mil vendendo uma única maquininha por dia. Saiba como virar um consultor SumUp CLICANDO AQUI

IMAGEM: Pixabay






Publicidade






Publicidade









Publicidade