Publicidade

Dicas para ter o próprio negócio investindo pouco


A internet facilitou muito as coisas, desde a abertura da empresa até a venda do produto ou serviço


  Por Redação DC 27 de Dezembro de 2020 às 13:17

  | Da equipe de jornalistas do Diário do Comércio


Houve um tempo em que para ser um empresário era preciso ter muito recurso financeiro, estrutura para lidar com a burocracia trabalhista, ter um ponto comercial. Hoje, há cada vez mais opções no mercado para quem pretende abrir o próprio negócio investindo pouco.

A internet facilitou muito as coisas, desde a abertura de empresa – para ser um MEI, basta preencher alguns cadastros on-line e pronto – até a venda do produto ou serviço, que pode ter o suporte de um marketplace, de um site próprio, ou até das redes sociais.

Mas há alguns cuidados que o candidato a empreendedor precisa considerar antes de se aventurar no mundo dos negócios, principalmente se o orçamento for limitado.

O ponto mais importante no momento de estruturar um negócio é o conhecimento do mercado no qual sua empresa estará inserida:

É necessário saber se há muitos concorrentes, se o seu produto terá algum diferencial em relação a todos os semelhantes que estão à disposição do consumidor, se haverá demanda suficiente para atender toda a oferta.

Feita essa análise inicial, o próximo passo é saber qual será o custo para manter o negócio operacional, visto que a ideia aqui é ter uma empresa com o menor investimento possível.

Nesse ponto, é importante saber qual o volume investido para fabricar os produtos ou comprá-los de terceiros, o valor dispendido com remessas pelos Correios ou transportadora, o custo com combustível estimado para atender os clientes no caso de prestação de serviços, entre outros.

Por exemplo, para ser um consultor da SumUp, o investimento de entrada é de no máximo R$ 150, para adquirir o kit básico que, ao ser revendido, pode gerar um retorno de até R$ 290. Ou seja, até R$ 140 de lucro para cada kit vendido.

De baixo investimento inicial, a perspectiva de quem entra para o time SumUp é recuperar o valor investido em dobro logo de entrada. É possível faturar a partir de R$ 1,5 mil vendendo uma única maquininha por dia. Saiba como virar um consultor SumUp CLICANDO AQUI.

Estimados os custos para operacionalização do negócio, o passo seguinte é deixar seu produto ou serviço em evidência. Para tanto, abuse das redes sociais, criando conteúdos agradáveis para apresentar aquilo que deseja vender. Conte histórias reais, pois muitas vezes o consumidor cria vínculo com seu produto.

Outro caminho interessante é criar mailing de potenciais clientes e disparar conteúdo por e-mail. Nesse caso, é importante segmentar o conteúdo, fazendo disparos distintos para púbicos distintos.

Com os negócios em andamento, é sempre válido negociar com seus fornecedores, principalmente no início da operação da sua empresa, quando o capital de giro ainda pode não cobrir os custos fixos.

Negocie prazos para pagamento, pergunte sobre descontos ou promoções. No caso da SumUp, os kits de maquininhas estão sempre com descontos promocionais para os revendedores. Além disso, dependendo da performance, existe até uma linha de crédito para o consultor se manter estocado.

Por fim, para conseguir manter a empresa sempre saudável, é fundamental investir em qualificação. O empreendedor normalmente atua de maneira solo, por isso, apurar as noções de marketing, vendas, gestão financeira é sempre importante.

 

IMAGEM: Thinkstock






Publicidade





Publicidade







Publicidade