Opinião

Só queria entender...


Crimes, no Brasil do atual STF, do Congresso Nacional, dos governadores e prefeitos, não existem


  Por Paulo Saab 22 de Março de 2021 às 14:29

  | Jornalista, Bacharel em Direito, professor universitário e escritor.


Apenas me baseando em manchetes e dados publicados no Estadão de ontem, domingo, só queria entender se é má-fé, má vontade, ambas, e também manipulação, o que os antes chamados grandes jornais brasileiros (cada vez menores em tiragem leitores, faturamento e caráter) andam divulgando.

A manchete do caderno central (duas páginas) diz: “Descontrole da pandemia no Brasil assusta América do Sul.” Num “olho”, um tal de Mark Ryan, apontado como “membro da cúpula da OMS”, diz:” Muitos estão caminhando na direção certa, mas não é o caso do Brasil”.

A matéria contém uma série de gráficos, com números atribuídos à John Hopkins, Our World in Data, Universidade de Oxford e Consórcio de Veículos de Imprensa. Portanto, recheados de credibilidade.

Esses números apontam o Brasil com 220 milhões de habitantes, com um número de casos com Covid-19 por milhão de habitantes de 55,6. A Argentina socialista, tratada com carinho na mídia tupiniquim, com 45 milhões de habitantes, tem 49.  

Os números falam por si só. No quesito “total de mortos”, o Brasil com seus 220 milhões na publicação aparece com 287.795. A Argentina com seus 45 milhões com 54.231. 

Outro item. No número de óbitos por milhão de habitantes (número decente de se olhar), o Brasil com 220 milhões de habitantes aparece com 1.353 e a Argentina com seus 45 milhões de habitantes aparece com 1.203.  Números, repito, gritantes, destoantes das chamadas e manchetes.

É só fazer a conta da proporção. Ela cala quem aponta o dedo como se o Brasil fosse a ameaça, fora do contexto mundial.  Tem mais.

No item “doses administrada”, na publicação do agora magrinho Estadão, o Brasil, sempre com seus 220 milhões de habitantes, aparece com 11.492.854, enquanto o socialista país vizinho, com 45 milhões de habitantes, tem 2.668.103. A pá de cal na malandragem da manipulação dos textos: no quesito “população imunizada”, o Brasil aparece com 5.43% de 220 milhões de habitantes (nunca é demais repetir. Até desenhado está.). A Argentina com 1.12% de seus 45 milhões de habitantes. O Brasil, até a manipulada reportagem tem 11.9% de sua população vacinada e a Argentina apenas 0.5%. 

Não gostar do governo Bolsonaro é uma coisa.

Ter ódio de Bolsonaro por ter acabado com as fartas bocas de sangramento do tesouro público para as esquerdas, é também uma coisa.

Querer a esquerda de volta no poder para seguir sangrando os cofres públicos e implantando o totalitarismo censurado é também essa coisa.

Agora, manipular, mentir, distorcer, a informação para os brasileiros, é outra coisa completamente diferente e até criminosa. Mas, crimes, no Brasil do atual STF, do Congresso Nacional, dos governadores e prefeitos, não existem.

Os do executivo, quando existem, são potencializados e, pior de tudo, levados no cumprimento de dever de imprensa de bem informar, de maneira leviana, distorcida.

Pensando bem, nem queria entender...Entendo muito bem.

A população honesta do Brasil (felizmente, a imensa maioria) também já está entendendo.

 

**As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do Diário do Comércio






Publicidade






Publicidade









Publicidade