Opinião

Renovador experiente é de Manaus


Ele vê o Brasil com a visão do nortista que sabe a importância da boa gestão na qualidade de vida do povo, independentemente de partidos ou ideologias


  Por Aristóteles Drummond 13 de Dezembro de 2017 às 11:53

  | Jornalista


Surgiu um caso raro de político com quase 30 anos de mandatos, de expressão nacional, que se reciclou, assumindo uma postura moderna, transparente e realista.

Trata-se do prefeito de Manaus, pela terceira vez, Arthur Virgílio, que foi deputado e senador com destaque. Não pode ser considerado um político apenas amazonense na medida em que estudou e se formou no Rio, começou como diplomata e morou boa parte de sua vida em Brasília.

Mas vê o Brasil com a visão do nortista que sabe a importância da boa gestão na qualidade de vida do povo, independentemente de partidos ou ideologias.
 
Cresceu na oposição ao regime militar – seu pai foi cassado –, mas exalta com naturalidade a criação da Zona Franca por Castelo Branco e Roberto Campos como ponto decisivo para o progresso que a região alcançou.

E hoje quer expandir o projeto, mais voltado para alta tecnologia, com a criação de centro de estudos científicos e tecnológicos de ponta na região, formando mão de obra de primeira qualidade para este segundo salto.

Assume defender um estado que oriente o progresso, seja de forma mais simples, no cobrar, e mais transparente, no gastar e garantir educação, saúde e segurança.

Acredita no setor privado para alavancar o desenvolvimento econômico e social, permitindo, assim, que o Brasil passe a competir com os países que estão crescendo muito mais do que nós, na América Latina e no resto do mundo.
 
Na palestra que fez na Associação Comercial do Rio, empolgou pela forma objetiva, clara e insofismável de como deseja um Brasil sem apelações demagógicas.

Confessou o desejo de lutar por uma candidatura presidencial, mas, confiando na maturidade da sociedade e do próprio povo, exclui de seus posicionamentos o elemento do “dar voto ou não”.

“Quero ser diferente, não quero iludir ninguém com promessas que não podem ser cumpridas. Não quero avançar buscando a atender a todo mundo, pois isso é impossível”, afirmou.

E, ao fim de tal declaração, a presidente Ângela Costa não se conteve e o aplaudiu em meio a palestra. Arthur  Virgílio ainda terminou dizendo que, se disputar e perder por falar a verdade, não se importará. Ficaria sem dormir se vencesse uma eleição mentindo.
 
Os empresários que acompanham a política nacional com interesse, como o vice da ACRJ, Josa Nascimento Brito, saíram convencidos que, com a nova legislação e a busca da sociedade por uma novidade, mas sem riscos, o prefeito de Manaus pode ser um ator de destaque.

Pode, inclusive, deixar o seu partido, o PSDB, cujo novo programa, proclamado de “esquerda”, o desagradou por ser ultrapassado no mundo da competição.  
 
Se eleito, será o primeiro presidente do Amazonas!

*As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do Diário do Comércio