Opinião

Quem dá o golpe? Chora PT...


Golpe é, agora, pedir eleições gerais, que não são previstas na Constituição. Já o impeachment é previsto


  Por Paulo Saab 25 de Abril de 2016 às 18:05

  | Jornalista, Bacharel em Direito, professor universitário e escritor.


Enquanto o presidente nacional do PT, o jornalista Rui Falcão, blasfema por aí que Michel Temer, eleito na mesma chapa de Dilma com 54 milhões de votos, é traidor e vai cortar direitos sociais, a tese do “golpe” parece estar morta.

O “golpe” foi inventado como único argumento -mesmo que mentiroso –, na falta de outros, para tentar acobertar o assalto petista aos cofres públicos e às instituições nacionais, num projeto criminoso de poder, como disse o ministro Celso de Mello, do STF, desde o Mensalão.

É fácil raciocinar: se houvesse a mínima possibilidade de “golpe”, a ainda presidente Dilma teria ido aos Estados Unidos, deixando na presidência o “golpista” Michel Temer? O PT virou piada nacional.

Também, com Josés de Abreu para defendê-lo, e Ruis Falcões para comandá-lo, só indo para o túmulo mesmo.

Li na imprensa que para uma viagem de um dia e meio ao hemisfério norte a ainda presidente Dilma levou uma comitiva de 51 serviçais.

Como petista gosta de mordomia. Ainda mais se for bancada com dinheiro do pagador de impostos brasileiro.

Golpe é o que segue tentando dar o petismo ao ver naufragar de forma melancólica seu projeto de poder eterno. Dilma se apega ao que der. A única coisa que não faz é pensar no Brasil, governar.

Também, perder 51 serviçais assim à toa, só porque seu partido é incompetente, assim como ela, e a roubalheira contaminou todo o aparelho público? Que injustiça com ela.

Falar em eleições gerais é golpe. Isso não está previsto na Constituição. O impeachment está.

Petismo, lulismo, dilmismo, abreusismo, qualquer coisa que se refira ao grupo que se apoderou do estado achando que a eleição lhe daria direitos pessoais sobre o patrimônio do povo brasileiro, isso sim é golpe.

Lula vocifera que oposição usa argumentos de 64. Para o bem da verdade: Jango desistiu de um confronto com os militares e seguiu para o exílio de onde só voltou para ser sepultado em 1976. Recentemente foi exumado (sempre os fantasma da esquerda) e nada se provou de que ele teria sido envenenado.

Petista que compara 1964 com 2016 está perdido no tempo, não conhece a história e já está absolutamente cego pela revolta de ter sido descoberto. Em vez de santos salvadores da pátria, são criminosos comuns como Fidel, Chaves, Maduro, o ditador da Coréia do Norte e alguns cadáveres vivos que sobram no mundo.

Vão perder no Senado. Dilma vai ser afastada. Lula vai querer eleições, como Marina, ambos dando golpe na Constituição. Vão esbravejar. Vão cometer violências, a sociedade vai reagir, e tudo que lhes restará será, cada vez mais, a lata de lixo da história brasileira.

*******

As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do Diário do Comércio