Opinião

Pátria deseducadora


A prisão de Vaccari demonstra o quanto o petismo destrói valores e desperta a revolta do cidadão honesto


  Por Paulo Saab 15 de Abril de 2015 às 00:00

  | Jornalista, Bacharel em Direito, professor universitário e escritor.


Tudo que o PT tem feito desde que chegou ao poder, se passado na régua, é destruidor da educação e dos valores nacionais, entre os quais, a moralidade pública, a ética, a educação.

Benefícios decorrentes deste período de rapinagem são os que qualquer governante, até os postes, teria minimamente que fazer.

Mas, em vez de andarmos para frente, em tudo, andamos para trás.

Não sou eu quem diz. São os fatos, a polícia. É o segundo tesoureiro seguido do PT que vai em cana, por desvio de dinheiro público para o partido.  E amigos.

O cerco se fecha cada vez mais, e quando esse grupelho de assalto que tomou conta do país deixar o poder, após a devida dedetização da coisa pública, o que ficará para a história serão as páginas policiais e alguns rodapés da política.

A ousadia sem limites - que começou com a estrela vermelha petista plantada em pleno gramado do Palácio da Alvorada - criou o “slogan” Pátria Educadora, para essa malfadada segunda gestão da governanta.

O PT só deseduca. A pátria não é o governo. A começar daí.

Todos os exemplos que vêm de cima são ruins. Fazem mal ao Brasil.

Melhor seria um slogan do tipo “Deseducando a Pátria”.

Mas a ousadia que não falta aos mal intencionados demora a aparecer aos de bem.

O Povo brasileiro está acordando para o mal que o assola há 12 anos e meio.

É tanta mentira, tanta sujeira, tanta negatividade, tanta falta de caráter, que para onde se olha, sai sujeira.

Sobre a pátria educadora propriamente dita e a realidade, sempre distante da propaganda enganosa petista, basta ler reportagem da Exame (edição 1087).

Fala sobre educação no país e mostra, entre outras realidades chocantes, que o Brasil é o país da América Latina em que mais estudantes abandonam a escola e o ensino médio. E isso piorou entre gerações.

Vou direto à conclusão do estudo: “Com menos brasileiros concluindo o ensino médio, a formação de mão de obra qualificada para o futuro fica comprometida - e esse é um dos principais gargalos que o país precisará eliminar para alcançar um patamar de crescimento sustentável nas próximas décadas”.

Essa é a pátria educadora da governanta.

Aliás, se ela quisesse mesmo combater a corrupção e mostrar ao país que se livrou do petismo, não nomearia para o STF um ministro com vínculos ideológicos e partidários.

E teria apoiado a prisão do tesoureiro do PT, por falcatruas com dinheiro público em favor de petistas e amigos.