Opinião

O mundo precisa de mulheres mais presentes e ousadas também nos negócios


A diferença entre o que conhecemos como referências masculinas e femininas é ainda gritante. É sobre isso que precisamos falar


  Por Alessandra Andrade 11 de Outubro de 2021 às 13:39

  | Coordenadora do FAAP Business Hub e vice-presidente de relações com a juventude e inovação da ACSP


Inovação é uma palavra que me acompanha ao longo da carreira. Desde muito jovem enxerguei a potência do empreendedorismo e como ele é algo tão importante para o desenvolvimento do nosso País.

Comecei a falar sobre o tema em 1998 e em 2005 fui eleita vice-presidente da Confederação Nacional de Jovens Empresários, sendo a primeira mulher a ocupar essa posição na entidade. E sendo a primeira, não tinha referências femininas para me espelhar. Foi a partir desse olhar pioneiro que pautei meu trabalho desde então, buscando mudar esse quadro.

Anos se passaram e, hoje, gradativamente esse cenário vai se transformando. Porém, a diferença entre o que conhecemos como referências masculinas e femininas é ainda gritante. É sobre isso que precisamos falar e buscar novos caminhos.

Um estudo realizado pelo Sebrae, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, divulgado em 2020, mostra que as mulheres têm empreendido cada vez mais novas: 24% das empreendedoras têm até 35 anos, enquanto somente 18% dos empresários estão nessa faixa etária. Ou seja, cada vez mais as mulheres se percebem também como potência no empreendedorismo.

Quando falamos da importância do empreendedorismo feminino, a ideia não é criar segmentações, superioridade ou outras narrativas similares. A ideia não é separar, mas sim encorajar e estimular as empreendedoras para que, num futuro com equidade, a gente não precise mais falar em empreendedorismo feminino ou masculino, e sim em empreendedorismo apenas. 

Para isso, muitos passos ainda são necessários. Muitos já foram dados, claro, não podemos também fechar os olhos para o que já foi conquistado - a duras penas, diga-se de passagem. Mas há muito a ser feito.

É indispensável também dar exemplos para as meninas, as nossas meninas de hoje, que serão as mulheres do futuro. As crianças são o futuro do nosso mundo, são o nosso dia de amanhã. Por isso é essencial que essas meninas tenham bons exemplos a seguir e nos quais possam se inspirar. É preciso criar referências positivas para todas as meninas e inspirar mulheres destemidas no futuro.

Meu propósito é ver, no presente e no futuro, mulheres cada vez mais ousadas também nos negócios e na vida. É dessa forma que presenciaremos um mundo mais justo, mais equilibrado e mais vibrante.

 

IMAGEM: Thinkstock






Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade




Publicidade



Publicidade




Publicidade