Opinião

Lula, o mascate da mentira


De seu alforje de “mascate”, vendendo mentiras, saem ilusões, falsidades, aleivosias, furor, ódio, menos a verdade de como ele, o PT e seus asseclas destruíram o país


  Por Paulo Saab 14 de Dezembro de 2017 às 11:15

  | Jornalista, Bacharel em Direito, professor universitário e escritor.


Eis que de repente, à lá mascates d´antanho (que estes me perdoem pela possível ofensiva comparação) o apedeuta-mór da Republiqueta decidiu transformar-se em nova metamorfose ambulante e sair pelo país desfilando sua não mais indisfarçável mediocridade.

Não gosto de usar adjetivos, mas sumiu a possibilidade, em se tratando da hipocrisia inconteste do Sr. Luis Inácio Lula da Silva, de deixar de qualificá-lo, notadamente, porque já foi condenado em primeira instância, como criminoso, e caminha para ser também na segunda instância.

Decidiu a “alma mais honesta do Brasil”, sair viajando país afora –num vexame de comparecimento de povo e de repercussão -mentindo de forma contundente sobre os fatos, a vida e os acontecimentos que protagonizou direta ou indiretamente (via poste Dilma e outros).

De seu alforje de “mascate”, vendendo mentiras, saem ilusões, falsidades, aleivosias, furor, ódio, tudo, menos a verdade de como ele, o PT e seus asseclas associados no crime, destruíram o país, arrasaram a Petrobras (e outras), desvirtuaram os valores da vida brasileira, e ainda se acham no direito de “consertar” o que eles mesmos estragaram.

Lula faz as caravanas da mentira e sempre falando para seus seguidores de igual caráter, Hoffman, Lindberg, e quetais, despeja uma verborragia de inverdades que , quando o país for sério, trarão as consequências de quem age ,fala e ameaça, de forma ilegal, totalitária e desqualifica.

Haja adjetivos para o futuro presidente da ala de apedeutas da Papuda.

A desfaçatez, arrogância, cara de pau e insolência com que o criminoso condenado desfila pelo país, com suas malas de fantasia e desvirtuamentos, é uma afronta à dignidade das pessoas de bem do Brasil.

Com julgamento marcado na 2ª Instância para 24 de janeiro em Porto Alegre, se vê o criminoso e seus quadrilheiros no direito de tentar intimidar a população, os magistrados, o país, com suas táticas de guerrilha e ações nebulosas, sempre fora da lei.

Como cidadão brasileiro, pagador de impostos, cumpridor de obrigações, estou cansado de ver o espaço que meus coleguinhas de mídia, ainda iludidos com o vendedor de ilusões, dão para propagar a mentira.

E, com a passividade com que brasileiros comuns, mas honestos, aceitam o comportamento e a jornada mascateana do criminoso, sem se rebelar.

Parte da população ainda se deixa enganar pelo engodo petista. Nossos partidos são todos iguais. Por isso não se distinguem.

Ano que vem é de eleições. Lula diz que seria leviano se pretendesse se candidatar de novo a presidente caso tivesse cometido algum crime. Alma inocente.

Tem lá ele noções reais do que seja leviandade? Tem e muito....

Leitor e eleitor, se você está indignado com tudo isso, se faça ouvir de alguma maneira. Não engula e deixe que o silêncio possa ser usado como concordância ao modo como “essa gente” controlou, destruiu e ainda quer dominar o Brasil.

Concordo com quem disse que mais preocupante que o barulho dos infratores é o silêncio dos honestos.

*As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do Diário do Comércio