Opinião

Juízo, Brasil!


A direção que o país adotou no novo governo será sempre combatida pelas esquerdas que perderam também seu poder de incentivas, inclusive com o tesouro brasileiro, os interesses socialistas mundiais


  Por Paulo Saab 07 de Janeiro de 2020 às 14:30

  | Jornalista, Bacharel em Direito, professor universitário e escritor.


Este início de 2020, começo também do segundo ano de mandato do presidente Jair Bolsonaro, encontra o Brasil numa situação interessante, onde podem ser observados diversos elementos para uma eventual avaliação dessa situação. Vejamos:

1)Durante o ano de 2019 todos os indicadores de melhoria da atividade econômica e diminuição do índice de desemprego foram positivos.

2)No mesmo período a instabilidade política prevaleceu, considerando, principalmente, três fatores: a)o excesso de voluntariedade do presidente e o comportamento atípico de seus filhos em relação à discrição que o exercício do poder exige. b) o total descompromisso com os interesses do país, por parte da maioria do STF e da cúpula do Congresso Nacional e c) o desempenho por todos os títulos lamentável das esquerdas que perderam o poder executivo federal nas urnas e durante o primeiro ano do novo governo, dedicaram-se exclusivamente a boicotá-lo, tentar derrubá-lo e denegrir o país por todos os meios possíveis.

3)O crescimento do interesse popular pela atividade política e destinos do Brasil, criando um quadro de discernimento de parte da população que tirou da chamada grande imprensa o poder de manipulação que antes existia, ela insiste em tentar protagonizar e revela-se sem a força anterior, inclusive, pelo crescimento e fortalecimento das chamadas mídias sociais que deram voz à uma parcela significativa de público que antes não opinava nem participava.

4) Outros elementos que fazem parte do cenário nacional, como partidos políticos, interesses econômicos, relações internacionais, etc.

Neste quadro, e ainda, sendo 2020 ano eleitoral, ainda que municipal, onde todos vão tentar marcar posição e conquistar espaço partidário, pode-se esperar uma reedição amplificada de 2019, caso os elementos acima descritos não se alterem, onde vida econômica do país, vai seguir buscando sua melhoria, e as forças políticas, tentando puxar a sardinha para cada lado de interesse, sendo que o objetivo que deveria nortear a todos, o crescimento do país e a melhoria da qualidade de vida de sua população, seguirão em plano secundário ou terciário.

Os acontecimentos internacionais, previsíveis e imprevisíveis, podem também influenciar o desempenho interno e externo do pais, sempre com tentativas de manipulação a favor deste ou daquele interesses particular.

A direção que o país adotou no novo governo, será sempre combatida pelas esquerdas que perderam também seu poder de incentivas, inclusive com o tesouro brasileiro, os interesses socialistas mundiais.

Claro que esta avaliação é simplista, sem profundidade científica nem sociológica, baseada na sensibilidade e na vivência, mas são suficientes para o alerta que se dá num início de jornada anual.

A população está mais alerta do que nunca. Então, atores que têm influenciado a vida nacional ondo seus interesses pessoais e ideológicos, partidários e econômicos, acima do Brasil: criem juízo. Como se dizia antigamente, pelo andar da carruagem, vocês serão alcançados em breve por algo que nada pode impedir, a força da tecnologia que dá à população cada vez maior poder de entendimento e pressão. A palavra de ordem para todos em 2020 deve ser mesmo juízo.

**As opiniões expressas em artigos são de exclusiva responsabilidade dos autores e não coincidem, necessariamente, com as do Diário do Comércio

FOTO: Pixabay