Opinião

Incompetência e corrupção, não ideologia


Não se trata de discussão ideológica, mas da absoluta incompetência com que o PT governou o país, com quadros fracos, privilegiando nomeações de militantes em detrimento de técnicos qualificados


  Por Paulo Saab 22 de Março de 2016 às 14:48

  | Jornalista, Bacharel em Direito, professor universitário e escritor.


Vou insistir num ponto que precisa ser reforçado por todos aqueles que, fazendo parte do Brasil decente, tem enfrentado um governo que se revela a cada dia mais sórdido e capaz de qualquer ato para se manter no poder, agora, já de forma espúria.

Não se deixe enganar, leitor, e nem ser conduzdo para um campo de discussão a questão da perda da governabilidade pelo governo Dilma/Lula, em que a base seja a ideologia, seja de esquerda ou de direita. Ou acima, ou abaixo.

É neste terreno que os partidários e simpatizantes do PT, hoje restando praticamente os que vivem de verbas públicas, acolitados em órgãos públicos ou que recebem dinheiro público e beneficiários de verbas e outras benesses que os tornam defensores do Brasil cafajeste que se tornou a gestão petista: alegar que é direita contra esquerda, ou esquerda contra direita. 

Nada disso !

A questão é muito mais simples: estamos falando da absoluta incompetência com que o PT governou o país esses anos todos, com quadros fracos, privilegiando nomeações de militantes partidários em detrimento de técnicos qualificados.

O aparelhamento vergonhoso da máquina pública produziu uma legião de órgãos, estudos, projetos, decisões, fora da realidade brasileira. Voltados para atender a visão míope do socialismo retrógrado. 

E falamos também sem nenhuma conotação  ideológica, da magnifica máquina de corrupção montada pelo PT para transformar o tesouro nacional e a força de trabalho digno do país, em fonte de renda escusa para o próprio PT, seus aliados de ocasião e a banda podre do empresariado nacional.

O resto é balela. 

Aceitar o debate ideológico, entrar no jogo de coxinhas, de burgueses, de golpes, de visão partidária, é perder o foco na verdadeira discussão que se refere à dilapidação da Petrobras, aos ganhos escusos dos que passaram pelo governo petista.

É esquecer que os dois últimos presidentes nacionais e dois últimos tesoureiros do PT foram presos, julgados e condenador por corrupção, formação e quadrilha e outras acusações. 

É esquecer que sobre o tesoureiro da campanha de 2014 de Dilma, hoje ministro Edinho Araújo, bem como o atual presidente do partido, o inefável Rui Falcão, pego em flagrante mandando o ministro da Casa Civil de então, Jaques Wagner, prevaricar em favor de Lula, podem ser os próximos a encontrarem em suas portas às 6 da manhã um agente federal com ordem de prisão. 

É esquecer toda sorte de calhordice que as gravações feitas com autorização da Justiça mostraram,  Lula, Dilma, Wagner, Falcão e muitos outros, revelando  à população a sua verdade de dentro da alma: explorar o Brasil em favor deles próprios, manipulando a verdade, a lei, a justiça e os pobres ingênuos brasileiros.

Em linguagem, chula, baixa, de vagabundos de rua, desrespeitando os poderes da República e se escondendo na falsidade da ideologia.

Não se deixe enganar brasileiro decente. Hoje explorado por um governo criminoso, organizado numa quadrilha de destruição dos valores nacionais e manipulando as verdades ,mentindo, criando fraudes como a do termo de posse do chefe de toda a organização, para fugir da justiça de forma rasteira.

O Brasil decente esta revoltado, indignado, enojado, estupefato.

Não entre na discussão errada.

Quem ainda defende o PT, Lula, Dilma vive de dinheiro público, precisa da boquinha, ou terá que trabalhar, ir para a cadeia ou ser competente. Qualificado.

Como ser qualificado um bando de desqualificados?

Não entre na discussão errada leitor. A questão não é ideológica. É de incompetência e corrupção.